Psicologia e políticas de segurança pública: o analisador ‘Caveirão’

  • Cristiano da Costa Rebeque Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca / Fundação Oswaldo Cruz
  • Daniela Couto Jagel Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Pedro Paulo Gastalho Bicalho UFRJ
Palavras-chave: criminologia, políticas de segurança pública, relações de saber-poder, transdisciplinaridade.

Resumo

Considerando a existência do veículo blindado ‘Caveirão’ um analisador das atuais políticas de segurança pública, este artigo defende, inicialmente, que a utilização de tal dispositivo relaciona-se ao que se denomina positivismo criminológico. O Caveirão evidencia uma política repressiva, baseada em estratégias de confrontação e intimidação e práticas policiais fundamentadas na ‘lógica do inimigo interno’ e na criminalização da pobreza. O artigo ainda discute as relações de poder que definem o conceito de fundada suspeita e a emergência das classes ditas perigosas de uma sociedade. A partir daí, sustenta-se a idéia de que a superação do positivismo criminológico requer a problematização das práticas policiais – que não se restringem às práticas da polícia – que legitimam e fazem o Caveirão funcionar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristiano da Costa Rebeque, Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca / Fundação Oswaldo Cruz
Psicólogo (IP/UFRJ). Residente em Saúde da Família na Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca / Fundação Oswaldo Cruz.
Daniela Couto Jagel, Universidade Federal do Rio de Janeiro
Psicóloga (IP/UFRJ).
Pedro Paulo Gastalho Bicalho, UFRJ
Professor Adjunto do Instituto de Psicologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Direito.
Publicado
2009-04-16
Como Citar
Rebeque, C. da C., Jagel, D. C., & Bicalho, P. P. G. (2009). Psicologia e políticas de segurança pública: o analisador ‘Caveirão’. Psico, 39(4). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistapsico/article/view/4000
Seção
Artigos