“Família é muito sofrimento”: um estudo de casos de “devolução” de crianças

  • Lidia Levy PUCRIO
  • Patrícia Glycerio R. Pinho Psicóloga da Vara da Infância, da Juventude e do Idoso da Comarca da Capital-RJ.
  • Márcia Moscon de Faria Psicóloga da Vara da Infância, da Juventude e do Idoso da Comarca da Capital-RJ.
Palavras-chave: adoção, devolução de crianças, motivação, parentalidade

Resumo

O objetivo deste trabalho é discutir as motivações expressas por sujeitos que se disponibilizaram a exercer a parentalidade através da adoção, porém retornaram à Justiça com a intenção de entregar as crianças que já se encontravam sob sua guarda. Estudos sobre o tema são escassos, porém revelam as dificuldades encontradas pelos adultos ao confrontarem a criança por eles idealizada com a criança real. Após a realização de uma pesquisa documental, quando foram consultados dez processos de adoção, constatamos que, em todos eles, as crianças foram culpabilizadas pelo fracasso do projeto de adoção. As dificuldades apresentadas pelos adultos quanto a lidar com a diferença e suportar frustrações, a falta de vínculo, a incapacidade de conter a agressividade da criança e dar-lhe um sentido, destacaram-se entre as características presentes nas diversas situações analisadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2009-04-15
Como Citar
Levy, L., R. Pinho, P. G., & Faria, M. M. de. (2009). “Família é muito sofrimento”: um estudo de casos de “devolução” de crianças. Psico, 40(1). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistapsico/article/view/3730
Seção
Artigos