Transtorno de acumulação de animais: uma revisão sistemática

  • Luis Henrique Paloski Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
  • Elisa Arrienti Ferreira Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
  • Dalton Breno Costa Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre
  • María Laura del Huerto Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
  • Camila Rosa de Oliveira Faculdade Meridional
  • Irani Iracema de Lima Argimon Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
  • Tatiana Quarti Irigaray Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Transtorno de Acumulação de Animais, Critérios diagnósticos, Características de acumuladores de animais.

Resumo

O objetivo principal deste artigo foi identificar estudos que investigaram o transtorno de acumulação de animais. Além disso, buscou verificar as características sociodemográficas dos indivíduos com esse transtorno, as condições do ambiente e dos animais, quantidade e espécies de animais acumulados, critérios diagnósticos e as intervenções terapêuticas utilizadas. Analisou-se artigos empíricos ou documentais, redigidos na língua inglesa, espanhola ou portuguesa, sem restritor de tempo. Dentre os 75 artigos encontrados, analisou-se nove artigos. Observou-se que os acumuladores, são do sexo feminino e acumulam em média, mais de 30 animais. As condições das habitações eram insalubres, e os animais mais acumulados são cães e gatos. O transtorno produz grande sofrimento para o indivíduo, para sua família e também para os animais. Conclui-se que devido à carência estudos empíricos sobre a temática, pesquisas necessitam ser realizadas para sanar essa lacuna e, consequentemente, construir estratégias de intervenções.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luis Henrique Paloski, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Mestrando em Psicologia
Elisa Arrienti Ferreira, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Mestranda em Psicologia
Dalton Breno Costa, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre
Graduando do Curso de Psicologia da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre
María Laura del Huerto, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Graduanda do Curso de Psicologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Camila Rosa de Oliveira, Faculdade Meridional
Professora pesquisadora do Núcleo Stricto Sensu em Psicologia na Faculdade Meridional - IMED
Irani Iracema de Lima Argimon, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Professora Doutora do Programa de Pós-Graduação da Escola de Humanidades

Tatiana Quarti Irigaray, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Professora Doutora do Programa de Pós-Graduação da Escola de Humanidades

Referências

Calvo, P., Duarte, C., Bowen, J., Bulbena, A., & Fatjó, J. (2014). Characteristics of 24 cases of animal hoarding in Spain. Animal Welfare, 23(2), 199-208. http://dx.doi.org/10.7120/09627286.23.2.199

Hoarding of Animals Research Consortium (HARC). (2002). Health implications of animal hoarding. Health & Social Work, 27(2), 125 -136. http://dx.doi.org/10.1093/hsw/27.2.125

Joffe, M., O'Shannessy, D., Dhand, N. K., Westman, M., & Fawcett, A. (2014). Characteristics of persons convicted for offences relating to animal hoarding in New South Wales. Australian veterinary journal, 92(10), 369-375. http://dx.doi.org/10.1111/avj.12249

Ockenden, E. M., De Groef, B., & Marston, L. (2014). Animal Hoarding in Victoria, Australia: An Exploratory Study. Anthrozoös, 27(1), 33-47. http://dx.doi.org/10.2752/175303714X13837396326332

Patronek, G. J. (1999). Hoarding of animals: an under-recognized public health problem in a difficult-to-study population. Public Health Reports, 114(1), 81. http://dx.doi.org/10.1093/phr/114.1.81

Reinisch, A. I. (2009). Characteristics of six recent animal hoarding cases in Manitoba. The Canadian Veterinary Journal, 50(10), 1069.

Saldarriaga-Cantillo, A. & Rivas Nieto, J. C. (2015). Noah Syndrome: A Variant of Diogenes Syndrome Accompanied by Animal Hoarding Practices. Journal of elder abuse & neglect, 27(3), 270-275. http://dx.doi.org/10.1080/08946566.2014.978518

Slyne, K. E., Tolin, D. F., Steketee, G., & Frost, R. O. (2013). Characteristics of animal owners among individuals with object hoarding. Journal of Obsessive-Compulsive and Related Disorders, 2(4), 466-471. http://dx.doi.org/10.1016/j.jocrd.2012.11.003

Steketee, G., Gibson, A., Frost, R. O., Alabiso, J., Arluke, A., & Patronek, G. (2011). Characteristics and antecedents of people who hoard animals: An exploratory comparative interview study. Review of General Psychology, 15(2), 114.http://dx.doi.org/10.1037/a0023484

Svanberg, I. & Arluke, A. (2016). The Swedish Swan Lady. Society & animals, 24(1), 63-77. http://dx.doi. org/10.1163/15685306-12341388

American Psychiatric Association (2014). Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5). Porto Alegre: Artmed.

American Psychiatric Association. (2002). Diagnostical and Statistical Manual of Mental Disorders (DSM-IV) (4th ed.). Washington, DC: Author.

Fuck, E. J., Fuck, E. T., Delarissa, F., & Curt, C. E. (2006). Relação Homem X Animal Aspectos psicológicos e comportamentais. Revista Nosso Clínico, 9(49).

Lima, R. (2011). Acumuladores compulsivos: uma nova patologia psíquica. Revista Espaço Acadêmico, 11(126), 208-215.

Mataix-Cols, D. (2014). Hoarding disorder. New England Journal of Medicine, 370(21), 2023-2030. http://dx.doi.org/10.1056/NEJMcp1313051

Moher, D., Liberati, A., Tetzlaff, J., & Altman, D. G. (2009). Preferred reporting items for systematic reviews and metaanalyses: the PRISMA statement. Annals of internal medicine, 151(4), 264-269. http://dx.doi.org/10.1371/journal.pmed1000097

Pertusa, A., Frost, R. O., Fullana, M. A., Samuels, J., Steketee, G., Tolin, D. …, & Mataix-Cols, D. (2010). Refining the diagnostic boundaries of Compulsive Hoarding: a critical review. Clinical Psychology Review, 30(4), 371-86. Recuperado de: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0272735810000206 http://dx.doi.org/10.1016/j.cpr.2010.01.007

Ramos, D., Cruz, N. O., Ellis, S., Hernandez, J. A. E., & Reche-Junior, A. (2013). Early stage animal hoarders: are these owners of large numbers of adequately cared for cats?. Human-Animal Interaction Bulletin, 1(1), 55-69.

Worth, D. and Beck, A. M. (1981). Multipleownershipofanimals in New York City. Transactions & Studies of the College of Physicians of Philadelphia, 3(4): 280-300.

Publicado
2017-09-29
Como Citar
Paloski, L. H., Ferreira, E. A., Costa, D. B., Huerto, M. L. del, Oliveira, C. R. de, Argimon, I. I. de L., & Irigaray, T. Q. (2017). Transtorno de acumulação de animais: uma revisão sistemática. Psico, 48(3), 243-249. https://doi.org/10.15448/1980-8623.2017.3.25325
Seção
Revisão Sistemática