Qualidade na Interação Familiar e Estresse Parental e suas Relações com o Autoconceito, Habilidades Sociais e Problemas de Comportamento dos Filhos

  • Gisele Regina Stasiak Universidade Federal do Paraná
  • Lidia Natalia Dobrianskyj Weber Universidade Federal do Paraná
  • Claudia Tucunduva Universidade Federal do Paraná
Palavras-chave: Interação familiar, Estresse parental, Problemas de comportamento.

Resumo

Desde o século passado, diversas pesquisas acadêmicas sobre educação de filhos e suas relações com o desenvolvimento psicológico infantil são realizadas. O objetivo da presente pesquisa foi analisar a qualidade na interação familiar e o estresse parental de pais e mães de crianças que estão na fase de transição para o primeiro ano do ensino fundamental e suas relações com autoconceito, habilidades sociais e problemas de comportamento dessas crianças. Os participantes foram 39 crianças (5,9 anos), suas mães (n=39) e seus pais (n=25) que responderam as Escalas de Qualidade na Interação Familiar, Inventário de Estresse Parental, Escala de Comportamento Social para Pré-Escolares e Escala de Percepção do Autoconceito Infantil. Os resultados apontaram para várias correlações/relações significativas e estabeleceram três modelos de regressão linear múltipla, tendo a variável habilidades sociais das crianças um valor preditivo em destaque. Portanto, a qualidade na interação familiar pode ser tanto uma fonte decisiva de segurança e bem estar, quanto um ambiente que propicia comportamentos externalizantes e dificulta as construções de um autoconceito positivo e repertório adequado de habilidades sociais de crianças.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Abidin, R. R. (1995). Parenting stress index. Odessa: Psychological Assessement Resources.

Alvarenga, P. & Piccinini, C. A. (2001). Práticas educativas maternas e problemas de comportamento em pré-escolares. Psicologia: Reflexão e Crítica, 14(3), 449-459.

Backer, B. L., Heller, T. L., & Henker, B. (2000). Expressed emotion, parenting stress and adjustment in mothers of young children with behavior problems. Journal of Child Psychology and Psychiatry, 41(7), 907-915.

Barros, S. K. S. N. & Del Prette, A. (2007). Um treinamento de habilidades sociais para pais pode beneficiar os filhos na escola? Revista da SPTM, 11(1), 107-123.

Bayer, J. K., Sanson, A. V., & Hemphill, S. A. (2006). Parental influences on early childhood internalizing difficulties. Journal of Applied Developmental Psychology, 27, 542-559.

Bolsoni-Silva, A. T. & Del Prette, A. (2003). Problemas de comportamento: um panorama da área. Revista Brasileira de Terapia Comportamental e Cognitiva, 5(2), 91-103.

Bolsoni-Silva, A. T. & Loureiro, S. R. (2011). Práticas educativas pa-

rentais e repertório comportamental infantil: comparando crian-

ças diferenciadas pelo comportamento. Paidéia, 21(48), 61-71.

Bolsoni-Silva, A. T. & Marturano, E. M. (2002). Práticas edu-

cativas e problemas de comportamento: uma análise à luz

das habilidades sociais. Estudos de Psicologia (Natal), 7(2), 227-235.

Bolsoni-Silva, A. T. & Marturano, E. M. (2008). Habilidades sociais educativas parentais e problemas de comportamento: comparando pais e mães de pré-escolares. Aletheia, 27, 126-138.

Bolsoni-Silva, A. T. & Marturano, E. M. (2010). Relacionamento conjugal, problemas de comportamento e habilidades sociais de pré-escolares. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 26(1), 67-75.

Bolsoni-Silva, A. T., Marturano, E. M., Pereira, V. A., & Manfrinato,

J. W. S. (2006). Habilidades sociais e problemas de comportamento de pré-escolares: comparando avaliações de mães e de professoras. Psicologia: Reflexão e Crítica, 19(3), 460-469.

Bolsoni-Silva, A. T., Silveira, F. F., & Marturano, E. M. (2008). Promovendo habilidades sociais educativas parentais na prevenção de problemas de comportamento. Revista Brasileira de Terapia Comportamental e Cognitiva, 10(2), 125-142.

Brandenburg, O. J. & Weber, L. N. D. (2005). Revisão de literatura da punição corporal. Interação em Psicologia, 9(1), 91-102.

Carmo, P. H. B. & Alvarenga, P. (2012). Praticas educativas coercitivas de mães de diferentes níveis socioeconômicos. Estudos de Psicologia, 17(2), 191-197.

Cia, F., Pamplin, R. C. O., & Del Prette, Z. A. P. (2006). Comunicação e participação pais-filhos: correlação com habilidades sociais e problemas de comportamento dos filhos. Paidéia, 6(35), 395-406.

Deater-Deckard, K. (1998). Parenting stress and child adjustment: some old hypotheses and new questions. Clinical Psychology: Science and Practice, 5(3), 314-332.

Del Prette, A. & Del Prette, Z. A. P. (2002). Psicologia das relações interpessoais: vivências para o trabalho em grupo (2ª ed.). Rio de Janeiro: Vozes.

Del Prette, Z. A. P. & Del Prette, A. (2006). Psicologia das habilidades sociais na infância: teoria e prática (2a ed.). Rio de Janeiro: Vozes.

Del Prette, Z. A. P. & Del Prette, A. (2008). Um sistema de categorias de habilidades sociais educativas. Paidéia, 18(41), 517-530.

Dessen, M. A. & Polonia, A. C. (2007). A família e a escola como contextos de desenvolvimento humano. Paidéia, 36, 21-32.

Dessen, M. A. & Szelbracikowski, A. C. (2004). Crianças com problemas de comportamento exteriorizado e a dinâmica familiar. Interação em Psicologia, 8(2), 171-180.

Dessen, M. A. & Szelbracikowski, A. C. (2006). Estabilidades e mudanças em padrões familiares de crianças com problemas de comportamento exteriorizado. Paidéia, 16(33), 71-80.

Dias, T. P., Freitas, L. C., Del Prette, Z. A. P., & Del Prette, A. (2011). Validação da escala de comportamentos sociais de pré-escolares para o Brasil. Psicologia em Estudo, 16, 447-457.

Ferreira, M. C. T. & Marturano, E. M. (2002). Ambiente familiar e os problemas de comportamento apresentados por crianças com baixo desempenho escolar. Psicologia: Reflexão e Crítica, 15, 35-44.

Freitas, A. P. C. O. & Piccinini, C. A. (2010). Práticas educativas parentais em relação ao filho único e ao primogênito. Estudos de Psicologia, Campinas, 27(4), 515-528.

Kreppner, K. (2000). The child and the family: interdependence in developmental pathways. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 16(1), 11-22.

Leme, V. B. R. & Bolsoni-Silva, A. T. (2010). Habilidades sociais educativas parentais e comportamentos de pré-escolares. Estudos de Psicologia, 15(2), 161-173.

Lengua, L. J. & Kovacs, E. A. (2005). Bidirectional associations between temperament and parenting and the prediction of adjustment problems in middle childhood. Apllied Developmental Psychology, 26, 21-38.

Loss, H. & Cassemiro, L. F. K. (2010). Percepção sobre a qualidade da interação familiar e crenças autorreferenciadas em crianças. Estudos de Psicologia, Campinas, 27(3), 293-303.

Macarini, S. M., Martins, G. D. F., Minetto, M. F., & Vieira, M. L. (2010). Práticas parentais: uma revisão da literatura brasileira. Arquivo Brasileiro de Psicologia, 62(1), 119-134.

Marin, A. H., Piccinini, C. A., & Tudge, J. R. H. (2011). Praticas educativas maternas e paternas aos 24 e aos 72 meses de vida da criança. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 27(4), 419-427.

Merrell, K. W. (2002). Preschool and kindergarten behavior scales (2nd ed.) Austin, Tx: Pro-Ed.

Mckelvey, L. M., Fitzgerald, H. E., Schiffman, R. F., & Von Eye, A. (2002). Family stress and parent-infant interaction: the mediating role of coping. Infant Mental Health Journal, 23(2)164-181.

Oliveira, T. T. S. & Caldana, R. H. L. (2009). Educar e punir? Concepções e práticas educativas de pais agressores. Estudos e Pesquisas em Psicologia, 9(3), 679-694.

Oliveira, E. O., Marin, O. H., Pires, F. B., Frizzo, G. B., Ravanello, T., & Rossato, C. (2002). Estilos parentais autoritário e democrático-recíproco intergeracionais, conflito conjugal e comportamentos de externalização e internalização. Psicologia: Reflexão e Crítica, 1(1), 1-11.

Pettit, G. S. & Bates, J. E. (1989). Family interaction patterns and children´s behavior problems from infancy to 4 years. Developmental Psychology, 25(3), 413-420.

Pereira-Silva, N. L. & Dessen, M. A. (2006). Famílias de crianças com síndrome de down: sentimentos, modos de vida e estresse parental. Interação em Psicologia, 10(2), 183-194.

Rocha, G. V. M., Ingberman, Y. K., & Breus, B. (2011). Analise da relação entre praticas parentais e o autoconceito de pré-escolares. Revista Brasileira de Terapia Comportamental e Cognitiva, 13(1),

-106.

Sampaio, I. T. A. & Vieira, M. L. (2010). A influência do gênero e ordem de nascimento sobre as práticas educativas parentais. Psicologia: Reflexão e Crítica, 23(2), 198-207.

Sánchez, A. V. & Escribano, E. A. (1999). Medição do Autoconceito. Bauru: Edusc.

Szelbracikowski, A. C. & Dessen, M. A. (2007). Problemas de comportamentos exteriorizado e as relações familiares: revisão de literatura. Psicologia em Estudo, Maringá, 12(1), 33-40.

Wagner, A., Ribeiro, L. S., Arteche, A. X., & Bornholdt, E. A. (1999). Configuração familiar e o bem-estar psicológico dos adolescentes. Psicologia: Reflexão e Crítica, 12(1), 147-156.

Weber, L. N. D. & Moura, V. F. (2008). Interações familiares e comportamento anti-social. In L. N. D. Weber (Org.). Família e desenvolvimento: visões interdisciplinares (pp. 102-116). Curitiba: Juruá.

Weber, L. N. D. (2008). Interações entre família e desenvolvimento. In L. N. D. Weber (Org.), Família e desenvolvimento: visões interdisciplinares. (pp. 9-20). Curitiba: Juruá.

Weber, L. N. D., Prado, P. M., Salvador, A. P. V., & Brandenburg, O. J. (2008). Construção e confiabilidade das escalas de qualidade na interação familiar. Psicologia Argumento, 26(52), 55-65.

Weber, L. N. D., Viezzer, A. P., & Brandenburg, O. J. (2004). O uso de palmadas e surras como prática educativa. Estudos de Psicologia, 9, 227-237.

Publicado
2014-12-23
Como Citar
Stasiak, G. R., Dobrianskyj Weber, L. N., & Tucunduva, C. (2014). Qualidade na Interação Familiar e Estresse Parental e suas Relações com o Autoconceito, Habilidades Sociais e Problemas de Comportamento dos Filhos. Psico, 45(4), 494-501. https://doi.org/10.15448/1980-8623.2014.4.15846
Seção
Artigos