Repercussões Psicossociais da Acessibilidade Urbana para as Pessoas com Deficiência Física

  • Sâmara Sathler Corrêa Lima Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais
  • Maria Nivalda Carvalho-Freitas Universidade Federal de São João del-Rei
  • Larissa Medeiros Marinho Santos Universidade Federal de São João del-Rei
Palavras-chave: Deficiência física, Acessibilidade urbana, Inclusão social, Aspectos psicossociais.

Resumo

Frente às diversas discussões sobre os aspectos que envolvem a vida e os direitos das pessoas com deficiência física (PcDF), o objetivo deste estudo foi analisar as repercussões psicossociais da acessibilidade urbana para as PcDF. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, realizada por meio de entrevista semiestruturada, utilizando como estratégia de tratamento de dados a Análise de Conteúdo. Foram entrevistados oito cadeirantes residentes em uma cidade histórica de Minas Gerais. As principais repercussões foram identificadas e agrupadas em quatro categorias: apropriação do espaço urbano e vivência do sentimento de autonomia versus dependência; experiências no espaço urbano; limites e superações; e importância da acessibilidade urbana para o processo de inclusão social. Além disso, foi constatada a dificuldade que as PcDF têm em diferenciar aspectos físicos e sociais, referendando os impactos psicossociais da acessibilidade urbana para essas pessoas. Outros estudos precisam ser realizados para verificar essas repercussões em outros contextos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como Citar
Corrêa Lima, S. S., Carvalho-Freitas, M. N., & Marinho Santos, L. M. (2013). Repercussões Psicossociais da Acessibilidade Urbana para as Pessoas com Deficiência Física. Psico, 44(3), 362-371. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistapsico/article/view/15823
Seção
Artigos