Perdão interpessoal e contextos de injustiça no Brasil e Estados Unidos

  • Julio Rique Universidade Federal da Paraíba
  • Pablo V. M. Oliveira Queiroz Universidade Federal da Paraíba
  • Cleonice P. S. Camino
  • Robert D. Enright
Palavras-chave: Psicologia

Resumo

Este estudo sobre contextos de injustiça e o grau de perdão buscou investigar se uma pessoa perdoa uma outra pessoa em graus diferentes quando a ofensa ocorre na família, entre amigos ou no trabalho. 188 americanos e 390 brasileiros do sexo masculino e do sexo feminino, com idade média de 32 anos e seis meses participaram deste trabalho. Foram administradas a Escala de Atitudes (EFI) e uma escala de Desejabilidade Social. Os resultados indicaram que o perdão variou em grau de acordo com o contexto de injustiça. Os participantes mostraram que familiares e amigos receberam maior grau de perdão do que colegas de trabalho. O perdão associou-se à estrutura do contexto de relações familiares, relações entre amigos e relações profissionais, demonstrando, portanto, a possibilidade de eqüidade nas decisões para o perdão. Palavras chave: Perdão interpessoal; contextos sociais; injustiça.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Julio Rique, Universidade Federal da Paraíba
PhD em Desenvolvimento Humano pela Universidade de Wisconsin-Madison, EUA, Professor do departamento de psicologia da Universidde Federal da Paraíba.
Pablo V. M. Oliveira Queiroz, Universidade Federal da Paraíba
Aluno de Iniciação Científica.
Publicado
2008-02-07
Como Citar
Rique, J., Queiroz, P. V. M. O., Camino, C. P. S., & Enright, R. D. (2008). Perdão interpessoal e contextos de injustiça no Brasil e Estados Unidos. Psico, 38(2). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistapsico/article/view/1420
Seção
Artigos