A Inserção de Mulheres no Segmento de Vigilância Patrimonial Privada: Entre Conquistas e Manutenções

  • Maria Fernanda Diogo UFSC
  • Maria Chalfin Coutinho UFSC
Palavras-chave: Trabalho, Gênero, Vigilância Patrimonial Privada.

Resumo

Essa pesquisa objetivou compreender os movimentos de inserção de mulheres na área de vigilância patrimonial privada na Região Metropolitana de Florianópolis. Empregando metodologia qualitativa, sua principal fonte de informação foram entrevistas realizadas com gestores/as de empresas prestadoras de serviços e mulheres que almejavam atuar no segmento. Observou-se que o imaginário social da vigilância ainda está atrelado à figura masculina e a inserção de mulheres dá-se de forma parcial, segmentada, coadjuvante e eivada de estereótipos de gênero e naturalizações. As mulheres que buscaram profissionalização na vigilância investiram numa mudança laboral e de vida, na maioria das vezes evadindo de trabalhos subalternos, mal remunerados, fisicamente desgastantes e socialmente relacionados ao feminino. Elas ansiavam romper padrões culturais estandardizados e conquistar status social auferido à identidade profissional da categoria. Apesar dos percalços, percebeu-se que mudanças tecnológicas e organizacionais efetivamente têm aberto espaço para a entrada de mulheres na vigilância privada

.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Fernanda Diogo, UFSC
Possui graduação em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Mestrado e Doutorado em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atualmente é docente na Faculdade Municipal de Palhoça/FMP e pesquisadora do Núcleo de Estudos do Trabalho e Constituição do Sujeito - NETCOS/UFSC. Temáticas de interesse: psicologia do trabalho; relações de gênero; sentidos e significados do trabalho e psicologia da educação.
Maria Chalfin Coutinho, UFSC
Possui graduação em Psicologia (1981) e mestrado em Educação (1988) pela UFRGS. Doutorado em Ciências Sociais (2000) pela UNICAMP e Pós-doutorado em Psicologia Social pela USP. Professora Associado III da Universidade Federal de Santa Catarina, onde integra o departamento de Psicologia do Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Docente da área 2 Práticas Sociais e Constituição do Sujeito do Programa de Pós Graduação em Psicologia da UFSC. Coordena, juntamente com outra colega da UFSC, o Núcleo de Estudos Trabalho e Constituição do Sujeito NETCOS. Compartilha a coordenação do GT Trabalho e processos organizativos na contemporaneidade da ANPEPP. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicologia Social e do Trabalho e interesse na dimensão subjetiva do trabalho, em suas articulações com: processos identitários, produção de sentidos, participação, cotidiano, economia solidária; gênero; saúde, emprego e desemprego.
Publicado
2013-11-11
Como Citar
Diogo, M. F., & Coutinho, M. C. (2013). A Inserção de Mulheres no Segmento de Vigilância Patrimonial Privada: Entre Conquistas e Manutenções. Psico, 44(3), 421-431. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistapsico/article/view/12283
Seção
Artigos