A Desqualificação do SUS na Folha de São Paulo: Construção Discursiva de Gestores e Usuários

  • Gabriela Martins Silva Universidade Federal de Uberlândia
  • Emerson Fernando Rasera Universidade Federal de Uberlândia
Palavras-chave: SUS, imprensa, controle social, comunicação em saúde, análise crítica do discurso.

Resumo

A literatura atual em saúde aponta como a mídia tem realizado uma cobertura tendenciosa do SUS, enfatizando os problemas e se desinteressando pelos êxitos. Buscando investigar as estratégias discursivas utilizadas na desqualificação do SUS, especificamente, dos gestores e usuários, analisamos notícias publicadas pelo jornal Folha de São Paulo, no ano de 2008. Baseados na análise crítica do discurso, identificamos a construção da incompetência do governo, a partir de cinco estratégias discursivas: A desmoralização do governo; A valorização das alternativas; A utilização da voz de especialistas; A personalização do governo; e O foco no tempo. A indeterminação da inserção do usuário no Sistema foi construída a partir das estratégias discursivas de Despolitização do usuário; Politização limitada; e Judicialização. Consideramos que tais estratégias enfatizam o governo como responsável e não valorizam a participação popular via controle social, limitando as possibilidades de mudança no Sistema e transformando a crítica jornalística em desqualificação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriela Martins Silva, Universidade Federal de Uberlândia
Mestre em Psicologia pela Universidade Federal de Uberlândia.
Emerson Fernando Rasera, Universidade Federal de Uberlândia
Doutor em Psicologia; Professor do Instituto de Psicologia da Universidade Federal de Uberlândia.
Publicado
2012-12-19
Como Citar
Silva, G. M., & Rasera, E. F. (2012). A Desqualificação do SUS na Folha de São Paulo: Construção Discursiva de Gestores e Usuários. Psico, 44(1). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistapsico/article/view/10659
Seção
Artigos