[1]
J. Santana Pereira, “A esquerda radical no período pós-2009: nada de (muito) novo em Portugal?”, Oficina do Hist., vol. 9, nº 1, p. 58-77, jun. 2016.