O Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e a criação de um símbolo nacional

  • Eduardo Rouston Junior PUCRS
Palavras-chave: IHGB, nação, identidade

Resumo

Este artigo tem como principal preocupação analisar alguns elementos importantes existentes nos momentos iniciais da escrita da história do Brasil no período de consolidação do Estado imperial brasileiro, principalmente com a criação, em 1838, do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB), responsável pelas primeiras tentativas de reconstrução do passado do novo país e de produção de uma identidade que se pretendia ser nacional. Tendo em vista este objetivo, analisaremos, num primeiro momento, dois autores: o cônego Januário da Cunha Barbosa e Karl Philipp von Martius. A escolha desses dois autores se deve ao fato de ambos apresentarem, através de suas produções, os fundamentos que deveriam definir a identidade nacional brasileira naquela conjuntura histórica e que tipo de passado e história deveriam ser produzidos naquele momento, ou seja, no contexto de consolidação do Estado imperial. Além disso, apresentaremos algumas características que foram significativas para marcar o papel desempenhado pela literatura romântica indianista na defesa do jovem Estado imperial e na idealização do indígena enquanto símbolo nacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eduardo Rouston Junior, PUCRS
M
Publicado
2010-12-22
Como Citar
Junior, E. R. (2010). O Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e a criação de um símbolo nacional. Oficina Do Historiador, 2(1), 34-50. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/oficinadohistoriador/article/view/8098
Seção
Artigos