Espetáculo e Ditadura Civil-Militar:o duplo caráter das superintendências de ordem política e social (1964-1974)

  • Guilherme Moraes de Oliveira PUCRS
Palavras-chave: História do Brasil, Ditadura Civil-Militar, SOPS-RS, Espetáculo

Resumo

Neste artigo, procuro evidenciar a relação entre forças repressivas e unidade ideológica na ditadura civil-militar brasileira (1964-1985), especialmente a partir da análise das Superintendências de Ordem Política e Social (SOPS-RS) e dos slogans de comunicação social criados pelo governo até a administração de Emílio Médici. Em ambas subsiste um fenômeno que determina os novos modelos de desenvolvimento capitalista e cuja efetivação ocorreu durante a ditadura: trata-se do espetáculo moderno, inicialmente examinado e criticado pelo intelectual de “extrema-esquerda” Guy Debord (França, 1931-1994). A categoria de espetáculo permite a síntese dialética entre elementos aparentemente díspares, como censura e crescimento da mídia, repressão policial e otimismo – procedimentos comuns ao governo ou ao empresariado da época.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Moraes de Oliveira, PUCRS
A
Como Citar
Oliveira, G. M. de. (2010). Espetáculo e Ditadura Civil-Militar:o duplo caráter das superintendências de ordem política e social (1964-1974). Oficina Do Historiador, 1(1), 1-17. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/oficinadohistoriador/article/view/6983
Seção
Artigos