“Aí vai meu coração para você”

Sociabilidades intelectuais modernistas na correspondência de Mário de Andrade e Tarsila do Amaral

Palavras-chave: Correspondências, Intelectuais, Modernismo

Resumo

O presente estudo analisa a correspondências estabelecida entre Mário de Andrade e Tarsila do Amaral, durante os anos de 1922 a 1940. As trocas epistolares, as redes de sociabilidades intelectuais modernistas, fazem parte de todo um conjunto de acontecimentos nos entremeios da história. O presente estudo possibilitou entender aspectos referentes ao debate estabelecido sobre o Movimento Modernista, observando a vida privada de seus percursores, e os diálogos e trocas que foram interpelados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Giuseppe Roncalli Ponce Leon de Oliveira, Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, PB, Brasil.

Doutor em História Social pela Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo, SP, Brasil. Pós-doutorando em História, Cultura e Sociedade na Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), em Campina Grande, PB, Brasil.

Maria Letícia Costa Vieira, Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, PB, Brasil.

Graduada em História pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), em Campina Grande, PB, Brasil. Mestranda pelo Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), em Campina Grande, PB, Brasil. Graduanda em Filosofia pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), em Campina Grande, PB, Brasil.

Referências

AMARAL, Aracy. Correspondência Mário de Andrade & Tarsila do Amaral. Org., Intro. e notas Aracy Amaral. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2001. (Coleção Correspondência de Mário de Andrade).

AVELINO, Y. D. O Ofício do Historiador Através das Correspondências: uma Relação Afetiva Entre Mário De Andrade E Tarsila Do Amaral. Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, v. 12, n. 2, 2015. Disponível em: https://www.revistafenix.pro.br/revistafenix/article/view/764. Acesso em: 12 out. 2020.

COÊLHO, Edinaldo Gonçalves. A busca da identidade nacional no modernismo brasileiro: Das palavras de Mário de Andrade às pinceladas de Tarsila do Amaral. 2018. Dissertação (Mestrado em Estudos Literários) – Universidade Federal de Rondonia, Porto Velho. Disponível em: https://historiapt.info/pars_docs/refs/7/6658/6658.pdf. Acesso em: 14 out. 2020.

GOMES, Angela de Castro. Nas Malhas do Feitiço: o Historiador e os Encantos dos Arquivos Privados. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 11, n. 21, p. 121-127, 1998. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/article/download/2069/1208. Acesso em: 9 nov. 2020.

GRECCO, Gabriela de Lima. Redes de poder durante el “Estado Novo” brasileño: los intelectuales autoritários y la constelación Capanema. Revista Paginas, Rosário, v. 7, n. 15, set./dez. 2015. Disponível em: https://revistapaginas.unr.edu.ar/index.php/RevPaginas/article/view/169. Acesso em: 12 jun. 2021.

HÉGÉLE, Silvia. Diario íntimo, ¿Una escritura del silencio? Laboratorio en feminino. Revista Travessias, Cascavel, v. 12, n. 1, p. 277-288, jan./abr. 2018.

IONTA, Marilda. A escrita de si como prática de uma literatura menor: cartas de Anita Malfatti a Mário de Andrade. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 19, n. 1, p. 312, jan./abr. 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ref/v19n1/a07v19n1.pdf. Acesso em: 14 out. 2020.

MALATIAN, Teresa. Cartas: Narrador, Registro e Arquivo. In: PINSKY, Carla B.; LUCA, Tania Regina de (org.). O Historiador e suas Fontes. São Paulo: Contexto, 2011. p. 195-221. Acesso em: 22 nov. 2020.

OLIVEIRA, Giuseppe Roncalli Ponce Leon de. “Ocupar-se para não preocuparse”: amizade, envelhecimento e escrita de si na epistolografia cascudiana. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica, [S. I.], v. 3, p. 565-577, 2018. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/rbpab/article/download/5209/pdf. Acesso em: 22 nov. 2020.

OLIVEIRA, Giuseppe Roncalli Ponce Leon de. Correspondência Modernista e Regionalista de Luís da Câmara Cascudo (1922-1984). João Pessoa: Editora do CCTA, 2019.

OLIVEIRA, Giuseppe Roncalli Ponce Leon de. et al. Entre os artistas amigos o momento bom de ternura é o aparecimento de obra nova: O exercício da crítica literária na correspondência de Luís da Câmara Cascudo e Mário de Andrade (1924-1928). Revista Maracanan, [S. I.], v. 0, p. 88-102, 2017. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/maracanan/article/download/28475/21176. Acesso em: 9 nov. 2020.

RODRIGUES, Leandro Garcia. Escrevendo Cartas, Escrevendo a Vida – A Correspondência de Mário de Andrade e Tarsila do Amaral. DARANDINA revista eletrônica, [S. I.], v. 1, n. 2, p.1-15, 2010. Disponível em: https://www.ufjf.br/darandina/files/2010/01/artigo091.pdf. Acesso em: 16 nov. 2020.

SIRINELLI, Jean-François (2003). Os Intelectuais. In: RÉMOND, René (org.). Por uma História Política. Tradução de Dora Rocha. 2. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2003. p. 231-269.

Publicado
2021-08-05
Como Citar
de Oliveira, G. R. P. L., & Vieira, M. L. C. (2021). “Aí vai meu coração para você”: Sociabilidades intelectuais modernistas na correspondência de Mário de Andrade e Tarsila do Amaral. Oficina Do Historiador, 14(1), e40922. https://doi.org/10.15448/2178-3748.2021.1.40922