OS SERTÕES NA TELA EM O HOMEM DE COURO DO PAULO GIL SOARES (1969/70)

Palavras-chave: Documentário brasileiro, Caravana Farkas, Os Sertões

Resumo

O presente artigo se propõe a analisar a obra do diretor Paulo Gil Soares, com ênfase no documentário O Homem de Couro (1969/70), no contexto da ditatura militar (1964-85) e o projeto de produção de documentários conhecido como a “Caravana Farkas”. Mais especificamente, o artigo tem por objetivo traçar as conexões entre a obra de Paulo Gil Soares e a obra de Euclides da Cunha, focando nos paralelos entre O Homem de Couro e a apresentação do vaqueiro no livro Os Sertões (1902). A representação do vaqueiro no documentário serviu como tributo a estes heróis populares nacionais, além de expressar a força duradoura do retrato crítico da ordem social nordestina em Os Sertões quase setenta anos após a sua publicação. Dessa forma, Soares conseguiu fazer um documentário-denúncia primoroso sem recorrer a voz-over pedagógica ou afirmações dogmáticas. Ao mesmo tempo, Soares atualizou o retrato do da Cunha para os anos 60-70: O Homem de Couro oferece subjetividade que faltava no trabalho deste, desmentindo o determinismo biológico e geográfico do da Cunha, e retrata, de forma sutil, mudanças desfavoráveis no trabalho do vaqueiro sob o regime autoritário. Poucos anos após a realização do documentário, Soares fundaria o Globo Repórter, levando o seu estilo de documentário jornalística a um público enorme por todo o Brasil. Este artigo sobre os seus primeiros passos artísticos analisa uma peça-chave porém pouco estudada de um período formativo do documentário e telejornalismo brasileiro, e revela mais um exemplo do legado duradouro do trabalho de Euclides da Cunha.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Victoria Broadus, Georgetown University, Washington, D.C., United States

PhD Candidate in History (Brazil, Latin America) at Georgetown University Washington, D.C., United States

Referências

A MÃO do Homem. Directed by Paulo Gil Soares. São Paulo: Thomaz Farkas Productions, 1969/70. (19 min.) Available at https://vimeo.com/246487862. Accessed on: Feb. 10th, 2021.

A MORTE do Boi. Directed by Paulo Gil Soares. São Paulo: Thomaz Farkas Productions, 1970. (10 min.) Available at https://www.thomazfarkas.com/filmes/a-morte-do-boi/. Accessed on Feb.10th, 2021.

ALENCAR, Miriam. “As proezas de Paulo Gil.” Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, Caderno B, p. 8, 1968.

________. Cinema Novo-última safra (II) - Memórias de um Baiano. Jornal do Brasil, Caderno B, p. 2, 1966.

AYMORE, Artur. O Cangaço segundo Paulo Gil. Jornal do Brasil, Caderno B, 1965.

BASTIDE, Roger. Brasil, terra de contrastes. São Paulo: Difel, 1959.

BERNADET, Jean-Claude. Cineastas e imagens do povo. São Paulo: Brasiliense, 1985.

CAPOVILLA, Maurice. Depoimento. Depoimento para CPDoc-Fundação Getúlio Vargas, 2013. Available at https://cpdoc.fgv.br/sites/default/files/memoria-documentario/maurice_capovilla/TranscricaoMauriceCapovilla_Entrevista2.pdf.

CÂNDIDO, Antônio. Literatura e Sociedade. 7th edition. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1985.

CASCUDO, Luis da Camara. Vaqueiros e cantadores. São Paulo: Itatiaia - USP, 1984.

CCBB – Centro Cultural Banco do Brasil (Rio de Janeiro-RJ). A Caravana Farkas: documentários 1964-1980. Rio de Janeiro, 1997.

CUNHA, Euclides da. Os Sertões (Edição Crítica Comemorativa). São Paulo: Ubu, 2018.

________. Backlands: the Canudos Campaign. Translation by Elizabeth Lowe. New York: Penguin Books, 2010.

CURY, Joyce. O Documentário de Paulo Gil Soares na Caravana Farkas: vozes, personagens, e cultura popular. Master’s thesis in Imagem e Som, História e Políticas do Audiovisual, Universidade Federal de São Carlos, 2015.

ESCOREL, Eduardo. Depoimento. Depoimento para CPDoc-Fundação Getúlio Vargas, 2012. Available at http://cpdoc.fgv.br/sites/default/files/Eduardo_Escorel_Final.pdf.

FARKAS, Thomaz. Cinema documentário: um método de trabalho. PhD diss. USP, 1972.

________. Notas de Viagem. São Paulo: Cosac Naify, 2006.

________. Depoimento para o documentário Thomaz Farkas, brasileiro (Walter Lima Jr., 2003).

GOMES, Thalles. A imagem cantada: aboio e cantigas, de Humberto Mauro. Boitatá: Revista de Literatura Oral e Popular da ANPOLL 247-263, n/d.

JARAMATAIA. Directed by Paulo Gil Soares. São Paulo: Thomaz Farkas Productions, 1969/70 (20 min.) Available at: https://vimeo.com/245432487. Accessed on: Feb. 10th, 2021.

LUCAS, Meize. Caravana Farkas: itinerários do Documentário Brasileiro. São Paulo: Annablume, 2012.

MAIA, Paulo. Artista Jejuno Revisita Mito. Jornal do Brasil, Caderno 2, p. 2, Apr. 21st, 1977.

MEDINA, Maria de Fátima R. Medina and Maria Aparecida R. Aboio: Poesia e canto no compasso do gado. Miscelânea p. 51-72, 2017. https://doi.org/10.5016/msc.v21i0.12.

MEMÓRIA do Cangaço. Directed by Paulo Gil Soares. São Paulo: Thomaz Farkas Productions, 1964. (29 min.) Available at https://vimeo.com/230761660. Accessed on Feb. 10th, 2021.

MORETTIN, Eduardo V. Dimensões históricas do documentário brasileiro no periodo silencioso. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 25, n. 49, p. 125-152, jan.-jun. 2005. https://doi.org/10.1590/S0102-01882005000100007.

NICHOLS, Bill. Introduction to Documentary. 3rd edition. Bloomington: Indiana University Press, 2017.

O HOMEM de Couro. Directed by Paulo Gil Soares. São Paulo: Thomaz Farkas Productions, 1969/70. (20 min.) Available at: https://www.thomazfarkas.com/filmes/o-homem-do-couro/. Accessed on Feb. 10th, 2021.

PAULO Gil Soares, o pequeno principe da Bahia. Directed by Felipe Nepomuceno. Rio de Janeiro: Urca Filmes, 2019. YouTube (25 min.) Available at https://youtu.be/SLkozlE8w-Y). Accessed on Feb. 10th, 2021.

QUEIROZ, Maria Isaura Pereira de. 1969/1970. O Homem de Couro. Canal Farkas. Accessed October 4, 2020. https://www.thomazfarkas.com/filmes/o-homem-do-couro/.

QUEIROZ, Washington. Bahia e vaqueiros: um débito. Revista FACED 17: p. 71-84, 2010. https://doi.org/10.9771/2317-1219rf.v0i17.4872.

RAMOS, Clara Leonel. As múltiplas vozes da Caravana Farkas. Master’s thesis. Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

SARNO, Geraldo. Cadernos do Sertão. Salvador: Núcleo de Cinema e Audiovisual, 2006.

________. Depoimento. CPDoc-Fundação Getúlio Vargas. Rio de Janeiro: CPDoc-Fundação Getúlio Vargas, 2015. Available at http://cpdoc.fgv.br/sites/default/files/memoria-documentario/geraldo_sarno/TranscricaoFinalGeraldoSarno.pdf.

SILVA, Humberto Pereira da. Glauber Rocha: cinema, estética e revolução. Jundiaí: Paco Editorial, 2016. https://doi.org/10.15648/hc.28.2016.0.

SOARES, Paulo Gil. Jaramataia. Publicity material for Thomaz Farkas Filmes Culturais, Canal Farkas, 1970. Accessed October 4, 2020. https://www.thomazfarkas.com/filmes/jaramataia.

________. O Homem de Couro. Publicity material for Thomaz Farkas Filmes Culturais, Canal Farkas, 1969/70. Accessed on: Oct. 4th, 2020. https://www.thomazfarkas.com/filmes/o-homem-do-couro/.

________. Vida, paixão e mortes de Corisco, o Diabo Louro. Porto Alegre: L&PM, 1984.

SOBRINHO, Gilberto. A Caravana Farkas e o moderno documentário brasileiro. In: Estudos de Cinema Socine, edited by Gustavo Souza, Leandro Mendonça, Tunico Amancio, and Esther Hamburger, p. 155-162. São Paulo: Annablume, 2008.

STAVANS, Ilan. Introduction. In: Cunha, Euclides da. Os Sertões. Translation by Elizabeth Lowe. New York: Penguin Books, 2010.

THOMAZ Farkas, Brasileiro. Directed by Walter Lima Jr. Rio de Janeiro: Urca Filmes, 2004. (16 min.) Available at https://www.urcafilmes.com.br/doc-thomaz-farkas-brasileiro. Accessed on: Feb. 10th, 2021.

XAVIER, Ismail. Alegorias do subdesenvolvimento: cinema novo, tropicalismo, cinema marginal. 2 ed. São Paulo: Cosac Naif, 2013.

________. O cinema brasileiro moderno. São Paulo: Paz e Terra, 2001.

Publicado
2021-07-29
Como Citar
Broadus, V. (2021). OS SERTÕES NA TELA EM O HOMEM DE COURO DO PAULO GIL SOARES (1969/70). Oficina Do Historiador, 14(1), e39582. https://doi.org/10.15448/2178-3748.2021.1.39582
Seção
Dossiê: Mídias e História