“Aos moldes da terra natal”: imigrantes sul-brasileiros no Paraguai

Palavras-chave: Identidade. Redes. Imigrantes.

Resumo

O presente artigo busca analisar a importância das redes sociais criadas entre as famílias  imigrantes sul brasileiros que adentraram no Paraguai entre as décadas de 1970 a 1980 na manutenção de aspectos identitários próprios em algumas cidades do departamento do Alto Paraná. Partindo da revisão historiográfica do tema, busca-se identificar quais elementos de composição de sua identidade étnica e regional foram mantidos, quais traços foram assimilados, dando origem a uma identidade híbrida e quais as resistências presentes. Parte-se do pressuposto de que é uma zona fronteiriça e, consequentemente, com identidades fluídas ou porosas. Mesmo nesse contexto, os imigrantes brasileiros diferenciavam-se em relação ao outro por meio da língua e de sua cultura original mantida através das redes culturais criadas, que preservam a relação destes muito próxima ao país de origem. Como fontes de estudo, recorreu-se à revisão historiográfica e de fontes orais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanucia Gnoatto, Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, RS.
Mestranda em História na Universidade de Passo Fundo (UPF).

Referências

ALBUQUERQUE, J. L. C. Fronteiras em movimento e identidades nacionais: a imigração brasileira no Paraguai. 2005. 265f. Tese (Doutorado em Sociologia) – Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2005. https://doi.org/10.17013/risti.30.107-122

Amélia Ebert Haupt, aposentada, natural de Estrela Velha, RS, residente em Santa Terezinha de Itaipu, entrevista concedida em 13 jan. 2019.

BACK, Andressa. Multiplicidade na fronteira: o fenômeno das identidades em Santa Rita Paraguai. 2014. 93f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) –Universidade Estadual do

Oeste do Paraná, Toledo, 2014.

BARTH, Fredrik. Grupos étnicos e suas fronteiras. In: POUTIGNAT, Phlippe; STREIFF FENART, Joceline. Teorias da etnicidade. São Paulo: Unesp, 1998.

BÁRBARA, Marcelo Santa. Brasiguaios: território e jogo de identidades. In: POVOA NETO, Helion; FERREIRA, Ademir Pacelli (org). Cruzando fronteiras disciplinares: um panorama dos

estudos migratórios. Rio de Janeiro, Renan, 2005. p. 335.

FERREIRA, Ademir Pacelli (org.). Rio de Janeiro: Revan, 2005. p. 333-346.

BHABHA, Homi K. O local da cultura. Belo Horizonte: Ed. da UFMG,

BENEDUZI, Luís Fernando. MAL DI PAESE: As reelaborações de um Vêneto imaginário na ex-colônia de Conde D’EU (1884 1925). 2004. 324 f. Tese (Doutorado) - Curso de Historia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2004. https://doi.org/10.29289/259453942018v28s1059

CANDAU, Joël. Memória e identidade. São Paulo: Contexto, 2012.

Cesar Landy Torres, intendente distrital de Santa Rita, entrevista

concedida em 27 jul. 2018.

Dalci Malmann, natural de Humaitá, RS, residente em Raul Peña, entrevista concedida em 26 jul. 2018.

ELIAS, Norbert; SCOTSON, John. Os estabelecidos e os outsiders. Sociologia das relações de poder a partir de uma pequena comunidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahr, 2000. https://doi.org/10.5380/cam.v1i0.1561

FIORENTIN, M. I. A experiência de agricultores brasileiros no Paraguai (1970-2010). 2010.122f. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2010.

GOLIN, Luiz Carlos Tau. Hegemonía gauchesca. In: BATISTELLA, Alessandro (org.). Patrimônio, memória e poder. Reflexões sobre o patrimônio histórico-cultural de Passo Fundo (RS). Passo Fundo: Méritos, 2011. p. 155-188. https://doi.org/10.14393/19834071.2012.17680

GREGORY, Valdir. Eurobrasileiros e o espaço colonial. Migrações no Oeste do Paraná (1940-1970). 2. ed. Cascavel: Edunoeste, 2008.

GOETTERT, Jones Dari. O espaço e o vento: olhares da migração gaúcha para o Mato Grosso de quem partiu e de quem ficou. Dourados, MS: Editora UFGD, 2008.

HALL, Stuart. Quem precisa da identidade? In: SILVA, Tomaz Tadeu (org. e trad.) Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2000. p. 103-133.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 7. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Ed. da UFMG, 2003.

HAESBAERT, R.; BARBARA, M. J. S. Identidade e Migração em Áreas Transfronteiriças.

GEOgraphia (UFF), Niterói/ RJ, v. 5, p. 33-46, 2001. https://doi.org/10.22409/geographia2001.v3i5.a13398

HOBSBAWM, Eric; RANGER, Terense (org.). A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984.

Ivani Hirsch Bart, natural de Tuparãndi, RS, residente em San Alberto, PY, entrevista concedida em 28 jul. 2018.

Jacó Weller, ex-vereador de Santa Rita, PY, natural de Cerro Largo, RS, entrevista concedida em Foz do Iguaçu, 17 jan. 2019.

LESSER, Jeffrey. A negociação da identidade nacional: imigrantes, minorias e a luta pela etnicidade no Brasil. São Paulo: Ed. da Unesp, 2001.

Maria Gessi Soledade dos Santos, Foz do Iguaçu, natural de Francisco Beltrão, PR, entrevista concedia em 19 jan. 2019.

Neison Scholl Bamberg, agricultor, residente em Santa Rita PY, filho de sul brasileiros. Entrevista recebida por messeger em 14 set. 2016.

Neiva Linck Fridrichs, empresaria, natural de Tunápolis, SC, residente em Santa Rita, entrevista concedida em 26 jul. 2018.

Noeli Maria Pasuch Rambo, cozinheira e dona de buffe, natural de Humaitá RS, residente em Santa Rita. Entrevista recebida em 7 set. 2016.

POLLAK, Michel. Memória e identidade social. Estudos Históricos, [s. n.], v. 5, n. 10, p. 200-212, 1992.

SAYAD, Abdelmalek. A Imigração ou os paradoxos da alteridade. São Paulo: Edusp, 1998.

SAQUET, Marcos Aurélio; MODARDO, Marcos Leandro. A construção de territórios na migração por meio de redes de relações sociais. Revista NERA, Presidente Prudente, ano 11, n°.13, p. 118-127, jul./dez. 2008.

Silvina Rauber, professora, natural Iporã do Oeste, SC, residente em Santa Terezinha de Itaipu, entrevista concedida em 21 jan. 2019.

SOARES, Weber. Da metáfora à substância: redes sociais, redes migratórias e migração nacional e internacional em Valadares e Ipatinga. 2002. 344f. Tese (Doutorado em Demografia) —

Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional, Universidade Federal de Minas Gerias, Belo Horizonte, 2002. https://doi.org/10.24873/j.rpemd.2017.07.018

SOUCHAUD, Sylvain. Geografía de la migración brasileña en Paraguay. Asunción: UNFPA/ADEPO, 2007.

TEDESCO, Estrangeiros, extracomunitários e transnacionais: Paradoxos da alteridade nas migrações internacionais Brasileiros na Itália. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo;

Porto Alegre: Ed. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Chapecó: Argos, 2010. https://doi.org/10.14393/19834071.2015.26743

Terezinha Mezzalira, Irmã MSCS, funcionária pública da Casa do Migrante de Foz do Iguaçu, entrevista recebida por e-mail em 8 abr. 2019.

TRUZZI, Oswaldo. Redes em processos migratórios. Tempo Social, Revista de sociologia da USP, São Paulo, v. 20, n. 1, p. 199 - 218, 2008. https://doi.org/10.1590/s0103-20702008000100010

VENDRAME, Maíra Ines. “Nós partimos pelo mundo, mas para viver melhor”: redes sociais, família e estratégias migratórias. Rev. MÉTIS: história & cultura [S. l.], v. 9, n. 17, p. 69-82,

jan./jun. 2010.

Vilmar Bartz, natural de Tenente Portela, RS, residente em San Alberto, entrevista concedida em 28 jul. 2018.

ZAMBERLAN, Jurandir; CORSO, Giovanni (org.). Emigrantes brasileiros no Paraguai: presença Scalabriniana. Porto Alegre: Solidus, 2010.

Publicado
2019-12-18
Como Citar
Gnoatto, V. (2019). “Aos moldes da terra natal”: imigrantes sul-brasileiros no Paraguai. Oficina Do Historiador, 12(2), e34279. https://doi.org/10.15448/2178-3748.2019.2.34279
Seção
Artigos