Jornal como fonte e/ou objeto da escrita histórica: proposta metodológica aplicada à análise das representações sobre “o político” na “grande imprensa carioca” de 1955 a 1960

Palavras-chave: Jornais. Proposta metodológica. Escrita histórica.

Resumo

Este trabalho faz breves considerações metodológicas sobre o uso da imprensa, especialmente do jornal, como fonte e/ou objeto de estudos históricos. Tal proposta se justifica ao se considerar a carência de uma sistematização acerca dos diferentes tipos de precauções que devem ser tomadas ao se utilizar os jornais em distintas pesquisas. Dessa forma, o trabalho está dividido em quatro partes, iniciando com uma abordagem mais descritiva, onde alguns dos principais cuidados metodológicos, de caráter pré-textual, foram sintetizados. Em um segundo momento, tem-se um tratamento mais prático, onde é apresentada uma metodologia que dê conta de atender as demandas do nível pré-textual. Sendo que, essa metodologia foi desenvolvida a partir de um estudo de caso, mais especificamente, para a pesquisa que objetiva analisar as representações sobre “o político”, nas páginas dos jornais Jornal do Brasil, Correio da Manhã, Última Hora e O Globo, no período de 1955 a 1960. Já no terceiro momento, são elencados alguns apontamentos relacionados ao caráter textual da utilização dos periódicos na escrita histórica. Por fim, se encerra o artigo com a exposição de metodologias que dão conta da formação de um corpus documental de análise baseado em textos jornalísticos. Salienta-se que tais metodologias também foram desenvolvidas para o estudo de caso acima referido.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Letícia Sabina Wermeier Krilow, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS

Mestre em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Doutoranda em História na Pontifícia
Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Referências

ABREU, Alzira A.; LATTMAN-WELTMAN, Fernando. A Imprensa em Transição: O Jornalismo Brasileiro nos anos 50. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1996.

AGUIAR, Rafe. Dicionário Jornalístico: entenda todos os jargões. Coisas de Jornalista, 2016.

ALSINA, Miquel R. La construcción de la notícia. Paidós, Barcelona, 1989.

BAHIA, Juarez. Jornal, história e técnica. São Paulo: Ática, 1990.

BARBOSA, Marialva. “Cinquenta anos em cinco”: Consolidando o mito da modernização (1950-1960). In: BARBOSA, Marialva. História cultural da imprensa: Brasil: 1990-2000. Rio de Janeiro: Maud X, 2007. p. 149-173.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: 70, 2011.

BIRD, ELIZABETH S.; DARDENNE, ROBERT W. Mito, registo e ‘estórias’: explorando as qualidades narrativas das notícias. In: TRAQUINA, Nelson (org.). Jornalismo: Questões, teorias e “estórias”. Lisboa: Vega, 1993. p. 263-277.

BERGER, Cristha. Toda a notícia que couber, o leitor apreciar e o anunciante aprovar, a gente publica. In: MOUILLIAUD, M (org.) O Jornal: forma e sentido. Brasília: Paralelo 15, 2002. p. 715-726.

BOURDÉ, Guy; MARTIN, Hervé. As Escolas Históricas. Mem Martins (Portugal): Publicações Europa-América, 1990.

BOURDIEU, Pierre. Sobre a televisão. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997.

BOURDIEU, Pierre. A Distinção: crítica social do julgamento. Porto Alegre: Zouk, 2015a.

BOURDIEU, Pierre. A produção da crença: contribuições para uma economia dos bens simbólicos. Porto Alegre: Zouk, 2015b.

BOURDIEU, Pierre. O Poder Simbólico. Lisboa: Perspectiva, 1989.

BOURDIEU, Pierre. Esboço de Uma Teoria da Prática, Precedido de Três Estudos de Etnologia Cabila. Oeiras: Celta Editora, 2002.

BURKE, Peter. A Escola dos Annales. 1929-1989. São Paulo: Edit. Univ. Estadual Paulista, 1991.

BURKE, Peter. Uma História Social do Conhecimento: de Gutemberg a Diderot. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

CAPELATO, Maria Helena. Imprensa e História do Brasil. São Paulo: Contexto/Edusp, 1988.

CHALABY, J. O Jornalismo como invenção anglo-americana: Comparação entre o desenvolvimento do jornalismo francês e anglo-americano (1830-1920). Media & Jornalismo, [S. l.], n.3, p. 29-50, 2003.

CHARAUDEAU, Patrick. Discurso das Mídias. São Paulo: Contexto, 2013.

CHARTIER, R. (org.) Práticas de Leitura. Trad. Cristiane Nascimento. São Paulo: Estação Liberdade, 2001.

DARNTON, Robert. Jornalismo: toda notícia que couber, a gente publica. In: DARNTON, Robert. O Beijo de Lamourette: mídia, cultura e revolução. São Paulo: Cia das Letras, 1990, p. 41-57.

ECO, Umberto. Lector in fabula. A cooperação interpretativa no texto narrativo. Trad. Attilio Cancian, São Paulo, Perspectiva, 2002.

ELMIR, Cláudio Pereira. As armadilhas do jornal: algumas considerações metodológicas de seu uso para a pesquisa histórica. Cadernos do PPG em História da UFRGS, Porto Alegre, n.13, p. 19-29, dez. 1995.

GOLDENSTEIN, Gisela T. Do Jornalismo Político à Indústria Cultural. São Paulo: Summus, 1987.

JASMIN, Marcelo; FERREZ Jr., João. História dos Conceitos: dois momentos de um Encontro Intelectual. In: JASMIN, Marcelo Gantus; FERES JÚNIOR, J. (org.). História dos conceitos: debates e perspectivas. Rio de Janeiro: Edições Loyoloa; Editora PUC-Rio, 2006. https://doi.org/10.1590/s0102-69092005000100002

KARAWEJCZYK, Mônica. O Jornal como documento histórico: breves considerações. Historiae, Rio Grande, v.1, n.3, p. 131-147, 2010.

KRILOW, Letícia S. W. Cidades de Papel: as representações sobre as favelas na imprensa carioca durante o Segundo Governo Vargas (1951-1954). 2018. 220f. Dissertação (Mestrado em História), Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018. https://doi.org/10.5327/z2447-211520161600027

KUNCZIK, Michael. A Produção da Notícia. In: Conceitos de jornalismo. São Paulo: Summus, 2003, p. 219-275.

LAURENZA, Ana M. A. Lacerda X Wainer: o Corvo e o Bessarabiano. 2. ed. São Paulo: Ed. SENAC, 1998.

LE GOFF, J.; NORA, P. História: novos problemas, novas abordagens, novos objetos. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1976.

LUCA, Tania de. História dos, nos e por meio dos periódicos. In: PINSKY, Carla Bassanezi. Fontes Históricas. São Paulo: Contexto, 2005. p. 111-153. https://doi.org/10.5327/z2447-211520161600027

MARTINS, Luis Carlos dos Passos. História dos conceitos e conceitos na História: a imprensa como fonte/objeto da História Conceitual do Político. In: DOMINGOS, Charles Sidarta Machado; BATISTELLA, Alessandro; ANGELI, Douglas Souza (org.). Capítulos de História Política: fontes, objetos e abordagens. São Leopoldo: Oikos, 2018. E-book. p. 53-74. https://doi.org/10.33662/ctp.v9i1.10470

MATTELART, Armand. História das teorias da comunicação. 9. ed. São Paulo: Loyola, 2006.

MOLOTCH, Harvey; LESTER, Marilyn. As notícias como procedimento institucional: acerca do uso estratégico de acontecimentos de rotina, acidentes e escândalos. In: TRAQUINA, Nelson. (org.). Jornalismo: questões, teorias e “estórias”. Lisboa: Vega, 1993.

MORAES, Roque. Análise de Conteúdo. Revista Educação. Porto Alegre, ano XXII, n. 37, 1999.

MOUILLIAUD, Maurice (org.) O Jornal: forma e sentido. Brasília: Paralelo 15, 2002.

RANCIÈRE, Jacques. O conceito de anacronismo e a verdade do historiador. Tradução Mônica Costa Netto. In: SALOMON, Marlon (org.). História, verdade e tempo. Chapecó: Argos, 2011. p. 21-50.

REIS, José Carlos. Escola dos Anais. A inovação em História. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

RIBEIRO, Ana Paula Goulart. Imprensa e História no Rio de Janeiro dos anos 1950. Rio de Janeiro: E-papers, 2007.

RIBEIRO, Ana Paula Goulart. Clientelismo, corrupção e publicidade: como sobreviviam as empresas jornalísticas no Rio de Janeiro dos anos 1950? Ciberlegenda, Niterói, n. 8, [p. 1-15], 2002. https://doi.org/10.22409/c-legenda.v0i08.26157

RIBEIRO, Ana Paula Goulart. Jornalismo, literatura e política: a modernização da imprensa carioca nos anos 1950. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, n. 31, p. 147-160, 2003.

RIBEIRO, Lavina. Madeira. Imprensa e Espaço Público: A Institucionalização do Jornalismo no Brasil (1808-1964). Rio de Janeiro: E-Papers, 2004. https://doi.org/10.15603/2175-7755/cs.v25n41p97-114

RODRIGUES, Adriano Dutra. O acontecimento. In: TRAQUINA, N. (org.). Jornalismo: questões, teorias e “estórias”. Lisboa: Vega, 1993.

SILVA, Rafael Souza. Diagramação: o planejamento visual gráfico na comunicação impressa. São Paulo: Summus, 1985.

SODRÉ, Nelson Werneck. História da Imprensa no Brasil. São Paulo: INTERCOM; Porto Alegre: EDIPUCRS, 2011.

SCHUDSON, Michael. Descobrindo a Notícia: Uma história social dos jornais nos Estados Unidos. Petrópolis: Vozes, 2010.

TRAQUINA, Nelson. Teorias do Jornalismo I. 2. ed. Florianópolis: Insular, 2005.

TRAQUINA, Nelson. Teorias do Jornalismo II. 2. ed. Florianópolis: Insular, 2008.

TRAQUINA, Nelson. (org.). Jornalismo: questões, teorias e “estórias”. Lisboa: Vega, 1993.

WOLF, Mauro. Teoria das comunicações de massa. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

Publicado
2019-10-04
Como Citar
Krilow, L. S. W. (2019). Jornal como fonte e/ou objeto da escrita histórica: proposta metodológica aplicada à análise das representações sobre “o político” na “grande imprensa carioca” de 1955 a 1960. Oficina Do Historiador, 12(1), e33745. https://doi.org/10.15448/21778-3748.2019.1.33745
Seção
Artigos