Trajetória e atuação política de Gaspar Silveira Martins e João Nunes da Silva Tavares (Joca Tavares): relações de poder na fronteira platina

  • Gustavo Figueira Andrade Graduação em História pela Universidade Federal de Pelotas. Mestre em História pela Universidade Federal de Santa Maria.
  • Monica Rossato Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Santa Maria.
Palavras-chave: caudilhismos, fronteira, elites, história política, estado nacional.

Resumo

O presente estudo tem por finalidade analisar a trajetória e atuação política de Silveira Martins e Joca Tavares numa região de fronteira (Brasil, Uruguai e Argentina), especialmente no período de instalação da república brasileira no final do século XIX. Ambas as atuações foram marcadas por relações caudilhescas e político-parlamentares e apresentaram o perfil de sua formação enquanto elementos transfronteiriços com forte ligação com o Prata. A partir deste espaço platino que estes personagens, outrora ligados aos partidos Liberal e Conservador, estabeleceram suas redes de relações de poder, manifestadas em seus projetos políticos e práticas sociais. Para tal, nos utilizaremos dos trabalhos de Trindade e Noll (1991), Sérgio da Costa Franco (1988), Helga Picollo (1974; 1992) e Sandra Pesavento (1984), Jonas M. Vargas (2010), entre outros destacam as atuações políticas tanto do parlamentar Gaspar Silveira Martins como do General João Nunes da Silva Tavares (Joca Tavares). Este trabalho se refere às pesquisas desenvolvidas pelos autores junto ao Programa de Pós-Graduação em Historia da Universidade Federal de Santa Maria, Brasil, que tem por tema as trajetórias e atuações políticas de Gaspar Silveira Martins e de João Nunes da Silva Tavares na região fronteiriça platina e esta inserido em um projeto “guarda-chuva” intitulado História da América Platina e os processos de construção e de consolidação dos estados nacionais no século XIX e no início do século XX.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gustavo Figueira Andrade, Graduação em História pela Universidade Federal de Pelotas. Mestre em História pela Universidade Federal de Santa Maria.
Graduado Bacharel em História pela Universidade Federal de Pelotas no ano de 2014, participei ainda na graduação como bolsista de iniciação científica de dois projetos de pesquisa. O primeiro sob o título de “Trajetórias negras no Sul do Brasil”, sob orientação da professora Dr.ª Beatriz Loner, e o segundo sob o título “Rememorando combates: a Revolução Federalista de 1893 através de fontes textuais, visuais e orais no sul do Rio Grande do Sul”, sob orientação do professor Dr. Aristeu E. Machado Lopes. Atualmente sou mestrando em História pelo Programa de Pós-Graduação em História pela Universidade Federal de Santa Maria, vinculado ao projeto “História da América Platina e os processos de construção e consolidação dos Estados Nacionais do século XIX e início do século XX” coordenado e orientado pela Prof.ª Dr.ª Maria Medianeira Padoin, desenvolvo investigações na Linha Pesquisa de Fronteira, Política e Sociedade, com apoio de Bolsa CAPES/DS.
Monica Rossato, Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Santa Maria.
Possui graduação em História pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Mestrado e atualmente é Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação da UFSM. Professora de História da E.M.E.F. Profª Candida Zasso, Nova Palma/RS.

Referências

ANDRADE, Gustavo Figueira. A trajetória política do General João Nunes da Silva Tavares (Joca Tavares): família, comunicação e fronteira. Dissertação (Mestrado História). Santa Maria: Programa de Pós-Graduação em História, UFSM, 2017.

ARRIOLA, Arturo Taracena:Propuesta de definición histórica para región. Estúdios de Historia Moderna y Contemporânea de México, n. 35, Janeiro-Junho, 2008, p. 181-204.

AYROLO, Valentina; MÍGUEZ, Eduardo J. Reconstruction of the Socio-Political Order after Independence in Latin America. A Reconsideration of Caudillo Politics in the River Plate”. Jahrbuchfür Geschichte Lateinamerikas, n.49, 2012.

AZUA, Carlos Real de. Legitimidad, apoyo y poder político: ensaio de tipologia. 1ª Ed. Montevideo: Fundación de Cultura Universitaria, 1969.

BISCHOFF, Alvaro W. João Nunes da Silva Tavares. In: TAVARES, João Nunes da Silva. Diário da Revolução Federalista de 1893. Organização: Corálio Bragança Pardo Cabeda, GunterAxt e Ricardo Vaz Seeling. Porto Alegre: Procuradoria Geral – Geral de Justiça, Projeto Memória, 2004, Tomo II. (Memória Política e Jurídica do Rio Grande do Sul, 3).

BOISSEVAN, Jeremy. “Manipolatorisociali: mediatori come imprenditori” AA. VV RETI. L´analisi di networknellescienzesociali. Roma: Donzelli ed., 1995.

CARVALHO, José Mario. Nobiliário sul-riograndense: 2ª Ed. Porto Alegre: EDIGAL, 2011.

GONZALBO, Femando Escalante. Ciudadanos imaginarios. Memorial de los afanes y desventuras de lavirtud y apologíadel vicio triunfante em la república mexicana. Tratado de moral pública, México, Colegio de México, 1993.

FARINATTI, Luís Augusto E.; THOMPSON FLORES, Mariana F. da C. A fronteira manejada: apontamentos para uma história social da fronteira meridional do Brasil (século XIX). In: HEINZ, Flávio (org.). Experiências nacionais, temas transversais: subsídios para uma história comparada da América Latina. São Leopoldo: Oikos, 2009.

FÉLIX, Loiva Otero. Coronelismo, borgismo e cooptação política. 2. Ed. Porto Alegre: Editora UFRGS, 1996.

FÉRTIG, André A. A História política: da história tradicional à história renovada. Territórios e Fronteiras, Cuiabá, PPG em História/UFMT, v.2, n.2, jul./dez., 2009.

___________. Clientelismo político em tempos belicosos: a Guarda Nacional da Província no Rio Grande do Sul na defesa do Império do Brasil (1850-1873). Santa Maria: Editora da UFSM, 2010.

FLORES, Élio Chaves. O caudilhismo. São Paulo: FTD, 1997.

FRANCO, Sergio da Costa. Júlio de Castilhos e sua época. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, 1988.

FRANCO, S. da C. A Guerra Civil de 1893. 2. ed. ampl. Porto Alegre: Edigal, 2012.

GOLDMAN, N.; SALVATORE, R. (Orgs.) Caudillismos Rioplatenses: nuevas miradas a un viejo problema. Buenos Aires: Eudeba, 1998.

GUAZZELLI, C. O horizonte da Província: a República Rio-grandense e os caudilhos do Prata (1835-1845). Porto Alegre: Linus, 2013.

GUTFREIND, Ieda. Rio Grande do Sul: 1889-1896. A Proclamação da República e a Reação Liberal através de sua Imprensa. (Dissertação de Mestrado) Porto Alegre, PUC, 1979.

___________. A Historiografia Rio-grandense. Porto Alegre: EDUFRGS, 1998.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro Passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto: Ed. PUCRJ, 2006.

LANDÉ, Carl H. A base diádica do clientelismo. In: SCHIMIDT, S.W. et. al. (eds.). Friends, followers and factions. Berkeley: University of California Press, 1977, p 13-38.

MARTINS, Gaspar Silveira. Carta a Eduardo Prado. Buenos Aires. Coleção Revolução Federalista de 1893. Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 1894.

MARTINS, José Julio S. Silveira Martins. Rio de Janeiro: Typ. São Benedicto, 1929.

OZLAK, Oscar. La conquista delorden y lainstitucionalizacióndel Estado. In: La formacióndel Estado Argentino. Buenos Aires: Editora Belgrano, 1982, p. 95-190.

PADOIN, M. Medianeira. O federalismo na propaganda republicana no Rio Grande do Sul: uma retrospectiva histórica. In: AXT, Gunter [et al.] (Org.). Julio de Castilhos e o paradoxo republicano. Porto Alegre: Nova Prova, 2005.

PADOIN, M. Medianeira; ROSSATO, Monica. Gaspar Silveira Martins: Perfil biográfico, discursos e atuação na Assembleia Provincial. Porto Alegre: Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, 2013.

PESAVENTO, Sandra J. História do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1984.

PICCOLO, Helga Iracema. L. A política rio-grandense no Segundo Império (1868-1882). Porto Alegre: IFCH/UFRGS, 1974.

________. Vida Política no século XIX: da descolonização ao movimento Republicano. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 1992.

REIS, Jorge. Apontamentos Históricos e Estatísticos de Bagé. Bagé: Tipografia do Jornal Correio do Povo, 1911.

ROSSATO, Monica. Relações de poder na região fronteiriça platina: família, trajetória e atuação política de Gaspar Silveira Martins. 163f. Dissertação (Mestrado em História). Programa de Pós-Graduação em História, UFSM, Santa Maria, 2014.

SAFFORD, Frank. Politica, Ideologia y Sociedad.In: In: BETHEL, Leslie (coord). Historia de America Latina: América latina independiente, 1820-1870. BETHEL, Leslie (coord) v.6, p. 42-104, 1991.

SHUMWAY, Nicolas. La Generación de 1837, Parte I. In: La invención de la Argentina. Historia de una idea. Buenos Aires: Emecé Editores, 1993, p.131- 163.

SOUZA, Suzana Bleil de. Fronteira Poder Político e articulações comerciais no Brasilmeridional do final do século XIX. Anuário IEHS, 2008, p. 305 – 333.

TAVARES, João Nunes da Silva. Diário da Revolução Federalista de 1893. Organização: Corálio Bragança Pardo Cabeda, GunterAxt e Ricardo Vaz Seeling. Porto Alegre: Procuradoria Geral – Geral de Justiça, Projeto Memória, 2004, Tomo II. (Memória Política e Jurídica do Rio Grande do Sul, 3).

TRINDADE, Helgio; NOLL, Maria I. Rio Grande da América do Sul: partidos e eleições(1823-1990). Porto Alegre: Ed. UFRGS/ Sulina, 1991.

URICOCHEA, Fernando. O minotauro imperial. São Paulo: DIFEL, 1978.

VARGAS, J. M. Pelas margens do Atlântico: um estudo sobre elites locais e regionais no Brasil a partir das famílias proprietárias de charqueadas em Pelotas, Rio Grande do Sul (século XIX). Tese (Doutorado em História)–Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

REFERÊNCIAS DOCUMENTAIS

CABEDA, H. [Telegrama] 15 jan. 1892, Santana do Livramento. [para] TAVARES, João Nunes da Silva. Bagé, 1 folha. Pedido de nomeação para juiz. Acervo Particular da senhora Yara Maria Botelho Vieira, Bagé, RS. Transcrição de Gustavo F. Andrade, 2016.

CASTILHOS, J. S. [Telegrama] 12 fev. 1892, São Gabriel. [para] TAVARES, João Nunes da Silva. Bagé, 1 folha. Perseguição à grupos sediciosos em São Gabriel. Acervo Particular da senhora Yara Maria Botelho Vieira, Bagé, RS. Transcrição de Gustavo F. Andrade, 2016.

FILHO, L. [Telegrama] 11 fev. 1892, Caçapava do Sul. [para] TAVARES, João Nunes da Silva. Bagé, 1 folha. Comunica forte oposição na cidade e pede envio de reforços armados com urgência. Acervo Particular da senhora Yara Maria Botelho Vieira, Bagé, RS. Transcrição de Gustavo F. Andrade, 2016.

REFERÊNCIAS HEMEROGRÁFICAS:

A Federação. Porto Alegre, 7 out. 1885, p.2.

A Federação. Porto Alegre,20 mar. 1886, p.2

A Federação. Porto Alegre,16 nov. 1889, p.1.

A Federação. Porto Alegre, 31 ago. 1885, p.2.

El Eco Nacionalista. 20 mar. 1893, p. 2 e 3.

Publicado
2018-12-18
Como Citar
Andrade, G. F., & Rossato, M. (2018). Trajetória e atuação política de Gaspar Silveira Martins e João Nunes da Silva Tavares (Joca Tavares): relações de poder na fronteira platina. Oficina Do Historiador, 11(2), 96-117. https://doi.org/10.15448/21778-3748.2018.2.27083
Seção
Artigos