Notas introdutórias para o estudo da Teoria da História

  • Augusto da Silva Universidade Federal de Sergipe
Palavras-chave: história, teoria da história, filosofia da história

Resumo

O artigo busca oferecer considerações introdutórias para o estudo da teoria da história. O objetivo é apresentar alguns traços do longo e dificultoso processo de construção do discurso historiográfico em suas conexões com a teoria e as reflexões filosóficas sobre a história. Inicialmente, aborda a questão da importância de uma teoria da história para a atividade historiográfica. Toda narrativa histórica se apoia, de maneira refletida ou não, em alguma visão de mundo, numa teoria, e, portanto, é fundamental ao historiador que ele tenha domínio sobre ela. Na sequência, propõe-se uma breve reflexão da complexa interlocução entre historiadores e filósofos acerca de um conhecimento histórico racional. A emergência de um discurso historiográfico científico, no século XIX, se constituiu em contraposição às Filosofias da História iluministas. Os princípios dessa “ciência histórica” amparavam-se muito mais nas técnicas de eruditos especialistas da análise de manuscritos antigos (hermenêutica, filologia, paleografia, diplomática, dentre outras) e na tradição narrativa de eventos particulares do que nas discussões teóricas elaboradas sobre a história.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Augusto da Silva, Universidade Federal de Sergipe
Possui graduação em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS (1996), mestrado em História pela mesma instituição (1999) e doutorado em História pela Universidade de São Paulo - USP (2008). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal de Sergipe, atuando, principalmente, nas áreas de Teoria e Metodologia da História e Brasil colonial.

Referências

ACIOLI, Vera Lúcia Costa. A escrita no Brasil Colônia: um guia para a leitura de documentos manuscritos. Recife: UFP/Fundação Joaquim Nabuco/Massananga, 1994.

ARISTÓTELES. A Poética Clássica. Trad. Jaime Bruna. 12 ed. São Paulo: Cultrix, 2005.

ARÓSTEGUI, Julio. A pesquisa histórica: teoria e método. Trad. Andréa Dore. Bauru, SP: Edusc, 2006.

AUDI, Robert (Dir). Dicionário de Filosofia de Cambridge. São Paulo: Paulus, 2006.

BLOCH, Marc. Apologia da história, ou, o ofício do historiador. Trad. André Telles. Rio de Janeiro, Zahar, 2001.

BOTTOMORE, Tom (Ed.). Dicionário do pensamento marxista. 2 ed. Rio de Janeiro, Zahar, 2012.

BOURDÉ, Guy; MARTIN, Hervé. As escolas históricas. Tradução Ana Rabaça. Lisboa: Europa-América, 1983.

CARBONELL, Charles-Olivier. Historiografia. Trad. de Pedro Jordão. Lisboa: Teorema, 1992.

CHAUÍ, Marilena. Convite à Filosofia. 14 ed. São Paulo: Ática, 2011.

DURANT, Will. A história da filosofia. Trad. Luiz Carlos do Nascimento Silva. Rio de Janeiro: Nova Cultural, 1996.

DESCARTES, René. Discurso do Método. Trad. J. Guinsburg e Bento Prado Júnior. In: Descartes. 4 ed. São Paulo: Nova Cultural, 1987 (Col. Os Pensadores).

DOSSE, François. A história. Trad. Maria Elena Ortiz Assumpção. Bauru, SP, EDUSC, 2003.

HOBSBAWM, E.J. Sobre história. Trad. Cid Knipel Moreira. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

HOUAISS, A. Dicionário HOUAISS da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

KOSELLECK, Reinhart. O conceito de história. Trad. René Gertz. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

LANGLOIS, C.; SEIGNOBOS, C. Introdução aos estudos históricos. Trad. Laerte de Almeida Morais. São Paulo: Renascença, 1946.

LÖWITH, Karl. O sentido da história. Lisboa: Edições 70, 1977.

MALERBA, Jurandir (Org). Lições de História: o caminho da ciência no longo século XIX. Rio de Janeiro; FGV, 2010.

___ (Org). Lições de História: da história científica à crítica da razão metódica no limiar do século XIX. Porto Alegre: FGV, Edipucrs, 2013.

MARTINS, Estevão de Rezende (Org). A história pensada: teoria e método na historiografia europeia do século XIX. São Paulo: Contexto, 2010.

MONOD, Gabriel. Do progresso dos estudos históricos na França desde o século XVI. In: MALERBA, Jurandir (Org). Lições de História: o caminho da ciência no longo século XIX. Rio de Janeiro; FGV, 2010.

PARADA, Maurício (Org). Os historiadores clássicos da história, vol. 1: de Heródoto a Humboldt. Petrópolis, RJ: Vozes, PUC-Rio, 2012.

___ (Org). Os historiadores clássicos da história, vol. 2: de Tocqueville a Thompson. Petrópolis, RJ: Vozes, PUC-Rio, 2013.

___ (Org). Os historiadores clássicos da história, vol. 3: de Ricoeur a Chartier. Petrópolis, RJ: Vozes, PUC-Rio, 2014.

RANKE, Leopold von. Sobre o caráter da ciência histórica. In: MALERBA, Jurandir (Org). Lições de História: o caminho da ciência no longo século XIX. Rio de Janeiro: FGV, 2010.

REIS, José Carlos. A história, entre a Filosofia e a Ciência. 2 ed. São Paulo: Ática, 1999.

___. Wilhelm Dilthey e a autonomia das ciências Histórico-sociais. Londrina: Eduel, 2003.

___. História & teoria: historicismo, modernidade, temporalidade e verdade. 3 ed. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

THOMPSON, E.P. As peculiaridades dos ingleses (trad. Alexandre Fortes e Antônio Luigi Negro). In: As peculiaridades dos ingleses e outros artigos. Campinas, SP: Ed. UNICAMP, 2001.

TORRANO, Jaa. O mundo como função das musas. In: HESÍODO. Teogonia, a origem dos deuses. 5 ed. São Paulo: Iluminuras, 2003.

WILLIAMS, Raymond. Palavras-chave: um vocabulário de cultura e sociedade. Trad. Sandra Guardini Vasconcelos. São Paulo: Boitempo, 2007.

Publicado
2018-07-29
Como Citar
da Silva, A. (2018). Notas introdutórias para o estudo da Teoria da História. Oficina Do Historiador, 11(1), 189-206. https://doi.org/10.15448/2178-3748.2018.1.24648
Seção
Artigos