As origens do radicalismo: a construção da identidade da Ação Integralista Brasileira (1932-1937)

  • Rodrigo Santos de Oliveira Universidade Federal do Rio Grande (FURG)
  • Michelle Vasconcelos Oliveira do Nascimento FURG/FAPERGS/CAPES
Palavras-chave: Integralismo, Identidade, Ação Integralista Brasileira

Resumo

No presente artigo objetivamos analisar a construção da identidade da Ação Integralista Brasileira. Para isso, refletiremos como essa identidade foi constituída através da contraposição dos “valores sociais” integralistas aos “defeitos” daqueles que consideravam como inimigos. Esse fenômeno fica evidente em praticamente todos os textos integralistas, sejam eles em livros, revistas ou jornais. Esse discurso embasava a práxis política integralista e era baseado em um princípio básico de Plínio Salgado: a luta entre “espiritualismo” e “materialismo”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Santos de Oliveira, Universidade Federal do Rio Grande (FURG)
Doutor em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Professor Adjunto dos cursos de Bacharelado e Licenciatura em História da Universidade Federal do Rio Grande (FURG). Professor do Programa de Pós-Graduação em História da FURG.
Michelle Vasconcelos Oliveira do Nascimento, FURG/FAPERGS/CAPES
Pós-doutoranda em História da Literatura pela Universidade Federal do Rio Grande (FURG/FAPERGS/CAPES), Doutora e Mestre em Literatura Comparada pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Referências

BERIAIN, Josetxo. La construcción de la identidad colectiva en las sociedades modernas. In: BERIAIN, Josetxo Beriain; LANCEROS, Patxi (orgs.). Identidades culturales. Bilbao: Universidad de Deusto, 1996.

BERTONHA, João Fábio. Sobre a direita. Estudos sobre o fascismo, o nazismo e o integralismo. Maringá: Eduem, 2008.

________. Fascismo, nazismo, integralismo. São Paulo, Ática, 2005.

GONÇALVES, Leandro Pereira; Parada, Maurício B. Alvarez (Orgs). Histórias da Política Autoritária: Integralismos, Nacional Sindicalismo, Nazismos, Fascismos. Recife: Editora da UFPR, 2010.

GONÇALVES, Leandro Pereira; SIMÕES, Renata Duarte. Entre tipos e recortes: histórias da imprensa integralista. Guaíba: Editora Sob Medida, 2011.

OLIVEIRA, Rodrigo Santos de. Imprensa Integralista, Imprensa Militante (1932- 1937). Porto Alegre: PUCRS, 2009.

________. O inimigo mortal do sigma: o anticomunismo da Ação Integralista Brasileira (1932-1937). Rio Grande: Pluscom, 2011.

ORTIZ, Renato. Cultura brasileira e identidade nacional. São Paulo: Brasiliense, 1994.

PAYNE, Stanley G. Historia del fascismo. Barcelona: Editorial Planeta, 1995.

SALGADO, Plínio. O que é integralismo. Rio de Janeiro: Sem Editora, 1933.

________. A Doutrina do Sigma. São Paulo: Editora Verde-Amarelo, 1935.

TRINDADE, Hélgio. Integralismo. O fascismo brasileiro da década de 30. Porto Alegre: DIFEL/UFRGS, 1974.

VASCONCELOS, Gilberto. A ideologia curupira: análise do discurso integralista. São Paulo: Brasiliense, 1979.

Publicado
2016-06-29
Como Citar
de Oliveira, R. S., & Nascimento, M. V. O. do. (2016). As origens do radicalismo: a construção da identidade da Ação Integralista Brasileira (1932-1937). Oficina Do Historiador, 9(1), 190-207. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/oficinadohistoriador/article/view/22936