“O desmoronar do velho castello”: o jornal a lucta social e a adesão a Rebelião Tenentista de 1924 em Manaus

  • Luciano Everton Costa Teles Universidade do Estado do Amazonas
Palavras-chave: Jornal A Lucta Social, Rebelião Tenentista, Manaus

Resumo

o propósito do texto em tela consiste em compreender, mediante um jornal de cunho anarco-sindicalista denominado A Lucta Social, o processo de adesão dos personagens que estavam por trás da referida folha operária ao movimento tenentista que eclodiu no Amazonas, sobretudo na capital Manaus, no ano de 1924. Para isso, intentou-se num primeiro momento contextualizar e caracterizar a referida folha operária, para em seguida, inseri-la nos meandros políticos, revelando seus personagens e o contexto econômico-político que culminou nesse processo de aproximação com os tenentes em Manaus e a emergência de um sentimento de revolução proletária e justiçamento político.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciano Everton Costa Teles, Universidade do Estado do Amazonas
Possui graduação em Licenciatura Plena em História pela Universidade Federal do Amazonas (2004) e Mestrado em História Social pela mesma Instituição (2008). Foi professor e coordenador do curso de Licenciatura Plena em História do Centro Universitário Nilton Lins. Atuou ainda como professor substituto da UFAM e como assessor pedagógico da Gerência de Educação Escolar Indígena. Atualmente faz parte do grupo de pesquisa História da Imprensa do Amazonas e atua como professor Assistente da Universidade do Estado do Amazonas (Unidade de Tefé), desenvolvendo atividades principalmente nos seguintes temas: História e Imprensa no Amazonas, História do Trabalho, História e Diversidade Étnica, História, Memória e Patrimônio Histórico e Cultural.

Referências

BATALHA, Cláudio Henrique de Moraes. Vida Associativa: por uma nova abordagem da história institucional nos estudos do movimento operário. Anos 90. Porto Alegre, n. 8, p. 91-99, dezembro de 1997.

BURNS, E. Bradford. Manaus, 1910: retrato de uma cidade em expansão. Manaus: Secretaria de Imprensa e Divulgação do Estado do Amazonas, 1966.

CARONE, Edgard. O tenentismo: acontecimentos, personagens, programas. São Paulo: DIFEL, 1975.

CASTRO, Maria Clara Spada de. Entre cartas: uma contribuição para o estudo da Revolução de 1924 em São Paulo e de suas ligações com a Coluna Miguel Costa Prestes. XXVIII Simpósio Nacional de História – ANPUH. Lugares dos historiadores: velhos e novos desafios. Florianópolis/SC, p. 1-14, 27 a 31 de julho de 2015.

COSTA, Francisca Deusa Sena da. Quando o viver ameaça a ordem urbana. Dissertação (Mestrado em História). PUC, São Paulo, 1997.

DIAS, Edinéia Mascarenhas. A Ilusão do Fausto: Manaus (1890-1920). Manaus: Editora Valer, 1999.

DUARTE, Luiz Antônio Farias. Imprensa e Poder no Brasil – 1901 -1915: estudo da construção do personagem Pinheiro Machado pelos jornais Correio da Manhã (RJ) e A Federação (RS). Dissertação (Mestrado em Comunicação e Informação), UFRGS, Porto Alegre, 2007.

FIGUEIRA, Rickson França. Imprensa, política e poder: a sucessão governamental do Amazonas em 1920. Dissertação (Mestrado em História Social). UFAM, Manaus, 2011.

FORJAZ, Maria Cecília Spina. Tenentismo e política: tenentismo e camadas médias urbanas na crise da Primeira República. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

LOUREIRO, Antônio José Souto. Síntese da História do Amazonas. Manaus: Imprensa Oficial, 1978.

MARQUES, João Carlos. A Voz do Trabalhador: cultura operária e resistência anarquista no Rio de Janeiro (1908-1915). Dissertação (Mestrado em História Social), UEL, Londrina, 2013.

MATEUS, João Gabriel da Fonseca. O sindicalismo revolucionário como estratégia dos Congressos Operários (1906, 1913, 1920). Enfrentamento. Goiânia, ano 7, n. 2, p. 65-76, ago./dez. 2012.

MAYNARD, Andreza Santos Cruz. A caserna em polvorosa: a revolta de 1924 em Sergipe. Dissertação (Mestrado em História), UFPE, Recife, 2008.

OLIVEIRA, Tiago Bernardon de. Anarquismo, sindicatos e revolução no Brasil (1906-1936). Tese (Doutorado em História), UFF, Niterói/RJ, 2009.

PEREIRA, Joana Dias. Sindicalismo revolucionário em Portugal. Revista Mundos do Trabalho, vol. 1, n. 2, p. 195-220, jul./dez. de 2009.

PINHEIRO, Luís Balkar Sá Peixoto. Imprensa e mundos do trabalho na Belle Époque manauara. XXII Simpósio Nacional de História – ANPUH. João Pessoa, p. 1-8, 2003.

PINHEIRO, Maria Luiza Ugarte. A cidade sobre os ombros: trabalho e conflito no porto de Manaus (1899-1925). Manaus: Edua, 1999.

____________________. Folhas do Norte: letramento e periodismo no Amazonas (1880-1920). Tese (Doutorado em História), PUC, São Paulo, 2001.

SANTOS, Eloína Monteiro dos. A rebelião de 1924 em Manaus. 3º ed. Manaus: Valer, 2001.

SANTOS, Roberto. História econômica da Amazônia (1800-1920). São Paulo: T.A. Queiroz, 1980.

SCHMIDT, Benito Bisso. A palavra como arma: uma polêmica na imprensa operária porto-alegrense em 1907. História em Revista, UFPel, v. 6, p. 59-84, dez./2000.

SILVA, Hélio. História da República Brasileira: nasce a República (1888-1894). São Paulo: Editora Três, 1975.

SODRÉ, Nelson Werneck. O tenentismo. Porto alegre: Mercado Aberto, 1985.

TELES, Luciano Everton Costa. Pelas páginas do jornal Vida Operária: aspectos acerca do mundo do trabalho no Amazonas na década de 1920. Revista Litteris, p. 83-106, 14 de setembro de 2014.

WEINSTEIN, Bárbara. A borracha na Amazônia: expansão e decadência (1850-1920). São Paulo: Hucitec/EDUSP, 1993.

DOCUMENTOS CONSULTADOS

JORNAIS

CORREIO DO NORTE (1906, 1909, 1910 e 1912)

A LUCTA SOCIAL (1914 e 1924)

VIDA OPERÁRIA (1920)

BOLETINS

BITTENCOURT, Ângelo. “O Momento Histórico”. Boletim Maçônico, ago/set de 1924.

Publicado
2016-06-29
Como Citar
Teles, L. E. C. (2016). “O desmoronar do velho castello”: o jornal a lucta social e a adesão a Rebelião Tenentista de 1924 em Manaus. Oficina Do Historiador, 9(1), 78-94. https://doi.org/10.15448/2178-3748.2016.1.22741