A construção do conhecimento no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia – INPA, por meio de suas expedições científicas, (1954-1975)

  • Ângela Nascimento dos Santos Panzu Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
  • Eduardo Gomes da Silva Filho Universidade Federal do Amazonas
Palavras-chave: Produção do conhecimento. Expedições científicas. INPA

Resumo

Análise do processo de produção do conhecimento científico praticado no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - INPA, no período de 1954 a 1975, por meio de alguns relatórios das excursões e expedições científicas promovidas pelo Instituto que se tornaram registros fundamentais das atividades dos seus pesquisadores no interior da floresta Amazônica. Com o foco no caráter coletivo da atividade científica observou-se as inter-relações construídas entre os pesquisadores e os auxiliares recrutados na população local. Analisou-se a atividade científica como um processo que se viabiliza por meio da conjugação de interesses e da mobilização de indivíduos que estão fora do grupo de cientistas, embora façam parte da produção do conhecimento empreendido pelo INPA.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ângela Nascimento dos Santos Panzu, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Mestre em História Social pela Universidade Federal do Amazonas e Analista em C&T do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia-INPA.
Eduardo Gomes da Silva Filho, Universidade Federal do Amazonas
Mestre em História Social pela Universidade Federal do Amazonas, professor do Centro de Mídias e Tecnologias da Secretaria de Educação do Estado do Amazonas e membro do GT História do Trabalho UFAM-AM.

Referências

BATISTA, Djalma. O complexo da Amazônia: análise do processo de desenvolvimento. 2.ed. rev. Manaus: Valer; EDUA / INPA, 2007.

BEZERRA, Maria das Graças Ferraz. Cientistas, visitantes e guias nativos na construção das representações de ciência e paisagem na Floresta Nacional de Caxiuanã. Belém, [s.n.], 2007, f.146-147. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) --- Universidade Federal do Pará, Belém, 2007.

CANDOTTI, Ênio. Ciência e ética. Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi; Coordenação de Pós-Graduação, 2002.

GRANGER, Gilles-Gaston. A ciência e as ciências. Trad. Roberto Leal Ferreira. São Paulo: UNESP, 1994.

HAMILTON, Wanda; AZEVEDO, Nara. Um estranho no ninho: memórias de um ex-presidente da Fiocruz. História, Ciências, Saúde-Manguinhos, v.8, n.1, p. 237- 264, mar./jun., 2001.

KURY, Lorelai. Viajantes naturalistas do Brasil oitocentista: experiências, relato e imagem. História, Ciências, Saúde-Manguinhos, v.8, suplemento, p.863-880, 2001.

BATISTA, Djalma. Relatório preliminar da expedição a Codajás. Manaus: INPA, 1958. Datilografado.

BIOCCA, Ettore. Expedição científica ítalo-brasileira na floresta equatorial americana: difusão da tuberculose no rio Negro como consequência da penetração dos brancos. [Manaus: INPA; CNPq, 1962].

CERQUEIRA, Nelson L; RODRIGUES, William A. relatório de viagem de reconhecimento ao rio Manacapuru. Manaus: INPA, 1958, f.5 (Publicações avulsas n.10). Datilografado.

MACHADO, Paulo de Almeida. Relatório sobre o problema da hanseníase em Benjamin Constant e adjacências. [Apresentado ao Comandante Militar da Amazônia, general José Nogueira Paes. Manaus: INPA, 1970c]. Dossiê 442/69, f.334. Datilografado.

PRANCE, Ghillean T.; KERR, Warwick E. Ciência, aventura e fé: excursão do INPA ao rio Purus. [Manaus: INPA, 1975]. Datilografado.

RODRIGUES, William A. Relatório de viagem de reconhecimento aos rios Uatumã e Urubu. Manaus: INPA, 1960. Datilografado.

RODRIGUES, Wiliam A. Inventário florestal piloto ao longo da estrada Manaus-Itacoatiara estado do Amazonas: dados preliminares. [Manaus: INPA, 1965]. Datilografado.

RUELLAN, Francis. Expedições geomorfológicas no território do Rio Branco. Rio de Janeiro: INPA, 1957.

Publicado
2015-11-24
Como Citar
dos Santos Panzu, Ângela N., & da Silva Filho, E. G. (2015). A construção do conhecimento no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia – INPA, por meio de suas expedições científicas, (1954-1975). Oficina Do Historiador, 8(2), 7-23. https://doi.org/10.15448/2178-3748.2015.2.21553