Histórias de uma cidade e de seus trabalhadores em tempos de Guerra: Pelotas (1914-1918)

  • Lorena Almeida Gill UFPel
  • Beatriz Ana Loner Universidade Federal de Pelotas
Palavras-chave: Primeira Guerra Mundial. Organização operária. Pelotas.

Resumo

Resumo: Pelotas foi uma cidade com forte organização operária. Muitos trabalhadores, portanto, estiveram envolvidos na construção de sindicatos e de meios de comunicação, fortalecendo a imprensa, por exemplo, além de promoverem eventos culturais e formativos. Durante a Primeira Guerra Mundial houve um intenso movimento pela paz e pelo antimilitarismo, os quais envolveram, principalmente, trabalhadores organizados, muitos deles anarquistas e algumas mulheres. Pretende-se, neste artigo, abordar a conjuntura na cidade, enfatizando a luta contra a guerra, além de eventos que marcaram aqueles anos, como a gripe espanhola de 1918. Os principais documentos que serão utilizados se vinculam a jornais da época, especialmente, o Diário Popular, órgão do Partido Republicano Rio-Grandense e O Rebate, opositor da Municipalidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Beatriz Ana Loner, Universidade Federal de Pelotas
Professora aposentada da UFPel. Doutora em Sociologia,

Referências

ALONSO, José; BENETTI, Maria e BANDEIRA, Pedro. Crescimento econômico da região sul do Rio Grande do Sul: causas e perspectivas. Porto Alegre: FEE, 1994.

ANTUNES, Adriano. A Repercussão da Revolução Russa de 1917 nos jornais diários da República Velha no RS. História em Revista, Pelotas, v. 6, p. 115-131, 2000.

BARTZ, Frederico. O Horizonte vermelho: o impacto da revolução russa no movimento operário do Rio Grande do Sul: 1917-1920. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Dissertação (Mestrado em História). Porto Alegre, 2008.

BARTZ, Frederico. Movimento Operário e revolução social no Brasil: ideias revolucionárias e projetos políticos dos trabalhadores organizados do Rio de Janeiro, São Paulo, Recife e Porto Alegre entre 1917 e 1922. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tese (Doutorado em História). Porto Alegre, 2014.

CALDAS, Pedro. Zeca Netto e a conquista de Pelotas. 2ª edição. São Leopoldo: EST, 1995.

CUNHA FILHO, Miguel Ângelo. A Disseminação da Intolerância através da Imprensa: o caso da menina Francisca. Pelotas, 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (História – UFPel).

FERRO, Marc. História da Primeira Guerra Mundial (1914-1918). Lisboa: Edições 70, 1992.

GILL, Lorena. Labirintos ao redor das cidades: as vilas operárias em Pelotas (RS) 1890- 1930. Revista Unisinos, v. 10, n. 1, p. 45-52, jan./abr. 2006.

GILL, Lorena. O Mal do Século. Tuberculose, tuberculosos e políticas de saúde em Pelotas (RS) 1890-1930. Pelotas: EDUCAT, 2007.

HOBSBAWM, Eric. Era dos Extremos. O breve século XX (1914-1991). São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

LONER, Beatriz. Jornais pelotenses diários na República Velha. Ecos Revista. Pelotas, v. 2, n. 1, p. 5-34, abr. 1998.

LONER, Beatriz. Construção de classe. Operários de Pelotas e Rio Grande. Pelotas: Editora da UFPel, 2001.

LONER, Beatriz e AQUINI, Daniel. Verbete Economia. In: LONER, Beatriz; GILL, Lorena e MAGALHÃES, Mario (Orgs.). Dicionário de História de Pelotas. Pelotas: Editora da UFPel, 2012.

LONER, Beatriz. O IV Congresso operário gaúcho e o ocaso do movimento anarquista no Rio Grande do Sul. Revista Patrimônio e Memória, v. 7, n. 1, p. 285-301, jun. 2011.

LUCA, Tânia. História dos, nos e por meio dos periódicos. In: PINSKY, Carla (Org.). Fontes Históricas. São Paulo: Contexto, 2010, p. 111- 153.

MAGALHÃES, Mário Osório. Opulência e Cultura na Província de São Pedro do Rio Grande do Sul: um estudo sobre a História de Pelotas (1860-1890). Pelotas: Ed. UFPel: Co-edição Livraria Mundial, 1993.

MIRANDA, Cássia. O teatro na voz operária: grupo teatral Cultura Social e o anarquismo em Pelotas, seus operários e suas palavras. Florianópolis, Universidade do Estado de Santa Catarina, Dissertação (Mestrado em Teatro), 2014.

OLIVEIRA, Leni. O início do fim da ferro carril e cais de Pelotas: o caso dos bondes na noite de 14 de dezembro de 1914. Monografia. Pelotas, 1997.

OLIVEIRA, Tiago Bernardon. Anarquismo, sindicatos e revolução no Brasil (1906-1936). Tese (doutorado em história). Universidade Federal Fluminense, Niterói. 2009.

PETERSEN, Silvia. Que a União Operária seja nossa pátria. Santa Maria: EDUFSM, 2001.

QUEIRÓS, César. O governo do Partido Republicano Rio-grandense e a questão social (1895-1919). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Dissertação (Mestrado em História). Porto Alegre, 2000.

QUEIRÓS, César. Estratégias e identidades: relações entre governo estadual, patrões e trabalhadores nas grandes greves da Primeira República em Porto Alegre ( 1917-1919). Porto Alegre. Tese (Doutorado em História) Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2012.

RÜDIGER, Francisco. Tendências do Jornalismo. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, 1993.

TOLEDO, Edilene. Anarquismo e sindicalismo revolucionário. São Paulo: Perseu Abramo, 2004.

Publicado
2015-07-03
Como Citar
Gill, L. A., & Loner, B. A. (2015). Histórias de uma cidade e de seus trabalhadores em tempos de Guerra: Pelotas (1914-1918). Oficina Do Historiador, 8(1), 8-21. https://doi.org/10.15448/2178-3748.2015.1.19883