Os inimigos da nação: a Liga Brasileira pelos Aliados e os discursos sobre o “perigo alemão” durante a Grande Guerra (1915-1919)

  • Livia Pires
Palavras-chave: Primeira Guerra Mundial – Intelectuais – Nacionalismo

Resumo

O presente artigo tem por objetivo analisar os discursos da Liga Brasileira pelos Aliados sobre o “perigo alemão”, e, dessa forma, entender as ideias e construções da associação acerca da identidade nacional brasileira. A Liga pelos Aliados foi fundada em 1915, tendo à frente importantes nomes da cena intelectual carioca e nacional, como José Veríssimo, Graça Aranha e Rui Barbosa. Atuou ao longo dos anos de guerra como um polo de propaganda dos países da Entente em solo brasileiro, divulgando textos na imprensa fluminense e promovendo eventos beneficentes na capital federal.  No entanto, seus discursos guardam mais do que a promoção da “causa aliada”: exprimem uma preocupação com a definição da identidade nacional. Tais ideias tornam-se evidentes quando a entidade edificou uma fala pungente contra os imigrantes de origem germânica residentes no Brasil, estendendo aos seus núcleos não apenas a antipatia dirigida ao Império Alemão, como a desconfiança quanto à sua participação num plano de fragmentação e dominação do território brasileiro. A partir da construção do “outro”, da figura a ser excluída do seio da comunidade, a Liga Brasileira pelos Aliados expôs o que acreditava serem os aspectos de compatibilidade e reconhecimento, do que definia o brasileiro nas primeiras décadas do século XX.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABRANCHES, Dunshee. A conflagração europeia e as suas causas. Rio de Janeiro: Tipografia do Jornal do Commércio, 1914.

ANDERSON, Benedict. Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

ARANHA, Graça. A grandeza e a piedade de Paris. Jornal do Commércio, Rio de Janeiro, 22 de dezembro de 1914. p. 2.

ÁZEMA, Jean Pierre. A guerra. In: RÉMOND, René (Org.). Por uma história política. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2003. p. 401-439.

BOER, Pim den. Civilização: comparando conceitos e identidades. In: JASMIN, Marcelo; JÚNIOR, João Feres. História dos Conceitos: diálogos transatlânticos. Rio de Janeiro: Edições Loyola, 2007. p. 121-128.

BROCA, Brito. A vida literária no Brasil – 1900. Rio de Janeiro: José Olympio, 1960.

CARVALHO, Antônio Reis. Liga Brasileira pelos Aliados. Jornal do Commércio, Rio de Janeiro, 17 de março de 1916. p. 5.

___. Liga Brasileira pelos Aliados. Relatório do 2º ano: 17 de março de 1917-17 de março de 1918. Jornal do Commércio, Rio de Janeiro, 24 de março de 1918. p. 9.

___. Liga Brasileira pelos Aliados. Uma representação ao Sr. Ministro do Exterior. A Rua, Rio de Janeiro, 8 de junho de 1918. p. 5.

CHÉRADAME, André. O plano pangermanista desmascarado: a terrível cilada berlineza da partida nula. Paris: Garnier, 1917.

COSTA, Angela Marques da; SCHWARCZ, Lilia Moritz. 1890-1914: no tempo das certezas. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

DUTRA, Eliane de Freitas. Rebeldes literários. História e identidade nacional no Almanaque Brasileiro Garnier (1903-1914). Belo Horizonte: UFMG, 2005.

GÉRTZ, René. O perigo alemão. Porto Alegre: Universidade/UFRGS, 1998.

MARTINS, Wilson. História da inteligência brasileira. São Paulo: Cultrix, 1978.

MEYNAUD, Jean. Os grupos de pressão. Lisboa: Publicações Europa-América, 1966.

OLIVEIRA, Lúcia Lippi. A questão nacional na Primeira República. 1ª ed. São Paulo: Brasiliense, 1990.

ROMERO, Sílvio. O Elemento português no sul do Brasil. Lisboa: Tipografia da Companhia Nacional, 1902.

_____. O alemanismo no sul do Brasil. In: ___. Provocações e debates. Porto: Chardron, 1910. p. 115-163.

SEVCENKO, Nicolau. Literatura como missão: tensões sociais e criação cultural na Primeira República. São Paulo: Braziliense, 1999.

STAROBINSKI, Jean. As máscaras da civilização: ensaios. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

VERÍSSIMO, José. O perigo alemão. Jornal do Commércio, Rio de Janeiro,14 de fevereiro de 1915. p. 4.

VINHOSA, Francisco Luiz Teixeira. O Brasil e a Primeira Guerra Mundial: a diplomacia brasileira e as grandes potências. Rio de Janeiro: IHGB, 1990.

Publicado
2015-07-03
Como Citar
Pires, L. (2015). Os inimigos da nação: a Liga Brasileira pelos Aliados e os discursos sobre o “perigo alemão” durante a Grande Guerra (1915-1919). Oficina Do Historiador, 8(1), 62-81. https://doi.org/10.15448/2178-3748.2015.1.19878