“Saneamento” da literatura infanto-juvenil: o esforço do CPOE e da Revista do Ensino (RS)

  • Eliane Peres Universidade Federal de Pelotas
  • Monica Maciel Vahl Universidade Federal de Pelotas
Palavras-chave: Literatura infanto-juvenil, Centro de Pesquisas e Orientações Educacionais, Revista do Ensino

Resumo

Este artigo tem por objetivo discutir o esforço feito pela Comissão Especial de Estudo e Classificação de Publicações Periódicas do Centro de Pesquisas e Orientações Educacionais (CPOE) e pela Revista do Ensino de estabelecer um “saneamento” da literatura infantil e juvenil durante a década de 1950 no Estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Os dados foram coletados a partir de documentos oficiais (Boletins, Decretos e Leis) e da imprensa pedagógica (exemplares da Revista do Ensino). A análise dessa experiência permitiu identificar formas de controle, disciplinamento e normatização da leitura e dos leitores em um período recente da História da Educação gaúcha. Além disso, os resultados apontam para o desenvolvimento de uma postura de vigilância em relação aos livros e as revistas que poderiam influenciar a ‘formação moral’ das gerações mais jovens. Inspiradas em um discurso que evocava como palavras-chave Escola, Família, Igreja e Estado foram adotadas estratégias de difusão de alguns impressos como as obras da Condessa de Ségur e estratégias de rejeição de outros como as revistas em quadrinhos “Tarzan” e “Capitão Marvel”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliane Peres, Universidade Federal de Pelotas
Professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Pelotas
Monica Maciel Vahl, Universidade Federal de Pelotas
Acadêmica do Curso de Mestrado em Educação da Universidade Federal de Pelotas. Bolsista CNPq.

Referências

BASTOS, M. H. C. A Revista do Ensino do Rio Grande do Sul (1939-1942): o novo e o nacional em revista. Pelotas: Seiva Publicações, 2005.

BRASIL. Lei no 2083. Regula a Liberdade de Imprensa. 12 de nov. 1953. Disponível em: <http://www2.camara.gov.br/legin/fed/lei/1950-1959/lei-2083-12-novembro-1953-366187-publicacaooriginal-1-pl.html>. Acesso em: 20 de out. 2012.

MAGALHÃES, A. M. E ALÇADA, I. (1990). Literatura infantil: espelho da alma, espelho do mundo. Revista ICALP. On-line, v. 20-21, p. 1-13, outubro de 1990. Disponível em: <http://cvc.instituto-camoes.pt/bdc/revistas/revistaicalp/litinfantil.pdf>. Acesso em: 20 de out. 2012.

PERES, E. Aprendendo formas de pensar, se sentir e de agir: discursos pedagógicos e práticas escolares na escola pública. Tese (Doutorado em Educação), Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2000.

QUADROS, C. Reforma, ciência e profissionalização da educação: o Centro de Pesquisas e Orientação Educacionais do Rio Grande do Sul. Tese (Doutorado em Educação), Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006.

QUADROS, C. e STEPHANOU, M. Reforma educacional e produção de modos de ser e pensar: A experiência do Rio Grande do Sul nos anos 30 a 50 do século 20. Revista Lusófona de Educação. Lisboa, n. 18, p. 97-110, 2011. Disponível em: <http://redalyc.uaemex.mx/redalyc/pdf/349/34922201007.pdf>. Acesso em: 20 de out. 2012.

REVISTA DO ENSINO. Exemplares de 1951-1960. Acervo do Grupo de Pesquisa HISALES da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Pelotas.

RIO GRANDE DO SUL. Decreto no 578. 22 de jul. 1942. Acervo da Biblioteca da Assembleia do Estado do Rio Grande do Sul.

RIO GRANDE DO SUL. Decreto no 794. 17 de jun. 1943. Acervo da Biblioteca da Assembleia do Estado do Rio Grande do Sul.

RIO GRANDE DO SUL. Decreto no 5922. 14 de janeiro de 1954. Acervo da Biblioteca da Assembleia do Estado do Rio Grande do Sul.

RIO GRANDE DO SUL. Secretaria de Educação e da Cultura do Rio Grande do Sul. Boletim do CPOE 1947. 1947. Acervo do Grupo de Pesquisa HISALES/FaE/UFPEL.

RIO GRANDE DO SUL. Secretaria de Educação e da Cultura do Rio Grande do Sul. Boletim do CPOE 1952-1953. 1953. Acervo do Grupo de Pesquisa HISALES/FaE/UFPEL.

RIO GRANDE DO SUL. Secretaria de Educação e da Cultura do Rio Grande do Sul. Boletim do CPOE 1956-1957. 1957. Acervo do Grupo de Pesquisa HISALES/FaE/UFPEL.

RIO GRANDE DO SUL. Secretaria de Educação e da Cultura do Rio Grande do Sul. Boletim do CPOE 1958. 1958. Acervo do Grupo de Pesquisa HISALES/FaE/UFPEL.

RIO GRANDE DO SUL. Secretaria de Educação e da Cultura do Rio Grande do Sul. Boletim do CPOE 1959. 1959. HISALES/FaE/UFPEL.

VENTORINI, E. Regulação da leitura e da literatura infanto-juvenil, no Rio Grande do Sul, na década de 1950: interdição, triagem e intervenção das autoridades. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

VENTORINI, E. Juventude, leituras infames e educação. In: BARROSO, V. L. et al. Ensino de História: desafios contemporâneos. Porto Alegre: ANPUH-RS, 2010. p. 87-100.

Publicado
2015-11-23
Como Citar
Peres, E., & Vahl, M. M. (2015). “Saneamento” da literatura infanto-juvenil: o esforço do CPOE e da Revista do Ensino (RS). Oficina Do Historiador, 8(2), 137-153. https://doi.org/10.15448/2178-3748.2015.2.19692