“A MISÉRIA QUE ACOMPANHA O PROGRESSO”: DISCURSOS E CONTRADIÇÕES NO CENTENÁRIO PARANAENSE (1953)

  • Neli Gehlen Motta Unioeste
Palavras-chave: Paraná, centenário, discurso.

Resumo

O ano de 1953 – centenário de emancipação política do Paraná – foi marcado pela construção e reafirmação de uma série de discursos sobre o Estado. Estes discursos, vinculados diretamente a ideias de modernidade e progresso, estavam, em sua grande maioria, baseados no sucesso econômico da chamada “onda cafeeira” que o Estado passava. Muitos materiais foram confeccionados tendo em vista as comemorações do centenário. Ao analisar estes materiais, compostos por textos, imagens, músicas, poemas, obras literárias, entre outros, pode-se perceber alguns pontos marcantes, elementos que ganham destaque, construindo discursos e instituindo verdades sobre os mais diversos aspectos do Paraná – população, economia, natureza – e a respeito do papel do Estado frente o Brasil. É neste sentido que o artigo ora proposto trabalhará, buscando identificar – a partir da análise do álbum “1º Centenário de Emancipação Política do Paraná, mas, principalmente, da Mensagem apresentada pelo governador Bento Munhoz da Rocha Neto à Assembleia Legislativa em 1953 e reproduzida no álbum em questão – a construção de um discurso que descreve o Paraná como moderno e desenvolvido, além de buscar perceber algumas das contradições inerentes a essa construção, as quais são, muitas vezes, obscurecidas pelas “verdades” estabelecidas pelo discurso.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2014-10-19
Como Citar
Motta, N. G. (2014). “A MISÉRIA QUE ACOMPANHA O PROGRESSO”: DISCURSOS E CONTRADIÇÕES NO CENTENÁRIO PARANAENSE (1953). Oficina Do Historiador, 892-905. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/oficinadohistoriador/article/view/19077