COLONOS E/OU POSSEIROS: O USO DAS DIFERENÇAS NA CONSTRUÇÃO DE IDENTIDADES

  • Mayara da Fontoura das Chagas Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE
Palavras-chave: Identidade. Diferença. Revolta de Três Barras do Paraná.

Resumo

A região hoje conhecida como oeste paranaense foi palco de muitos conflitos agrários. A Revolta de Três Barras do Paraná é um destes, a qual é ainda pouco discutida. Ocorreu entre os dias 6 e 8 de agosto de 1964, na localidade de Três Barras, no período distrito da cidade de Catanduvas/PR. O presente trabalho tem por objetivo analisar como os aspectos identitários de colonos e posseiros estão presentes nas memórias sobre a revolta de Três Barras do Paraná, percebendo como estes são destacados nas narrativas e em quais sentidos são utilizados por aqueles que narram. Buscamos, também, problematizar como tais aspectos se fazem presentes quando se propõem versões de fatos históricos, construções de representações e (re) elaboração de memórias. Compreendemos que estes aspectos identitários são, ainda, respaldados por interesses diversos como políticos, econômicos e sociais. Ao pensarmos essas conceituações, de colonos e posseiros, e problematizarmos a forma como os mesmos são caracterizados, principalmente pelo meio de acesso a terra e pela posse da mesma, observamos o uso de tais construções identitárias como forma de legitimar discursos sobre posse e o direito a terra e, ainda, percebemos que a caracterização de tais identidades baseia-se fundamentalmente na diferença construída entre ambas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2014-10-19
Como Citar
da Fontoura das Chagas, M. (2014). COLONOS E/OU POSSEIROS: O USO DAS DIFERENÇAS NA CONSTRUÇÃO DE IDENTIDADES. Oficina Do Historiador, 873-891. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/oficinadohistoriador/article/view/19076