“DOS PORÕES AO CAIS”: MEMÓRIAS DA TRAJETÓRIA DO SINDICATO DA ESTIVA DE RIO GRANDE-RS NOS ANOS DE 1960 A 1970.

  • Thiago Cedrez da Silva Universidade Federal de Pelotas-UFPel
Palavras-chave: Estivadores. Porto. História Oral.

Resumo

A problemática desta pesquisa consiste na análise da trajetória dos trabalhadores da estiva de Rio Grande, durante o período de 1960 a 1970, perpassando o impacto que o golpe militar de 1964 teve no modo de vida dos estivadores riograndinos. Com tal proposta, visamos identificar as transformações ocorridas no cotidiano desses obreiros, principalmente dos militantes, evidenciando a relação entre o dia a dia dessa classe trabalhadora e sua atividade sindical, bem como o caráter de identificação do “ser estivador”, no período acima mencionado. Será a partir do estudo da memória reavivada dos nossos protagonistas e do dialogo com as demais fontes, que buscaremos compreender os indícios de autonomia e as formas de resistência à dominação a que foi submetido o Sindicato da Estiva de Rio Grande durante o final do regime populista-trabalhista e nos primeiros anos da historicamente, ditadura civil - militar de 1964. Por fim, ao analisar o cotidiano dos estivadores desta cidade, através das fontes e do aporte teórico, entenderemos os aspectos simbólicos que perpassam o “ser estivador” dentro de um rol de categorias de trabalho portuário, bem como a imagem e a representatividade desses obreiros na sociedade Rio-grandina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago Cedrez da Silva, Universidade Federal de Pelotas-UFPel
Graduando do curso de História-UFPel
Publicado
2014-10-19
Como Citar
da Silva, T. C. (2014). “DOS PORÕES AO CAIS”: MEMÓRIAS DA TRAJETÓRIA DO SINDICATO DA ESTIVA DE RIO GRANDE-RS NOS ANOS DE 1960 A 1970. Oficina Do Historiador, 787-804. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/oficinadohistoriador/article/view/19071