A TRAJETÓRIA DO LIBERTO JOSÉ VIRIATO MONTEIRO: EXPERIÊNCIAS DE CATIVEIRO, LIBERDADE E PARENTESCO EM PELOTAS/RS, 1830/1888

  • Natália Garcia Pinto Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Resumo

A presente pesquisa tem por intuito analisar as experiências de liberdade e parentesco, visando compreender as estratégias utilizadas pelos cativos para alforriarem a si ou a um familiar. Verificamos que o esforço para comprar a alforria de um parente não se limitava as primeiras gerações familiares. Observamos a relevância da família escrava nos projetos de liberdade, visto que através dela os indivíduos poderiam galgar espaços por autonomia e mobilidade social, pois talvez sem esse auxílio dos parentes e aliados a liberdade ficasse mais distante ainda.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Natália Garcia Pinto, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Graduada em História Bacharelado pela FURG (20-07), Especialista em História do Rio Grande do Sul pela UNISINOS (2011), Mestra em História pela UNISINOS (2012), Doutoranda em História UFRGS. Trabalho com atemática da escravidão nos seguintes temas: experiências de liberdade e família escrava.
Publicado
2014-10-17
Como Citar
Pinto, N. G. (2014). A TRAJETÓRIA DO LIBERTO JOSÉ VIRIATO MONTEIRO: EXPERIÊNCIAS DE CATIVEIRO, LIBERDADE E PARENTESCO EM PELOTAS/RS, 1830/1888. Oficina Do Historiador, 1313-1333. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/oficinadohistoriador/article/view/19025