A RELAÇÃO SUJEITO-ESTRUTURA NA HISTÓRIA SOCIAL - APONTAMENTOS PARA ANALISAR A ‘IDEIA DE RAÇA’ NESSA RELAÇÃO

  • Fernanda Oliveira da Silva UFRGS
Palavras-chave: História social. Raça. Sujeito. Estrutura. Pós abolição.

Resumo

A análise a seguir visa observar como no campo epistemológico pode-se interpretar a relação sujeito-estrutura tomando como base a perspectiva da história social, assim como lançar alguns apontamentos a fim de observar a presença da ideia de raça permeando essa relação, cujo pano de fundo está no pós-abolição do sul do Rio Grande do Sul e no norte do Uruguai no que tange aos sujeitos negros e suas associações observadas a partir dos seus membros como sujeitos coletivos. A estrutura é tomada como algo forte e com um grau de hierarquia perante a ação dos sujeitos, que por razões sociais foi moldada por ações desses, mas que parece ter se “emancipado” e adquirido vida fora deles. No entanto, as estruturas moldam as ações dos sujeitos e são moldadas por essas ações numa relação dialética. Dessa forma, as estruturas são tomadas enquanto processo que se dá a partir de relações sociais e não como algo estático. As relações sociais são responsáveis pela dinâmica histórica e sobre elas que se lança olhar a fim de captar a dinâmica da sociedade. Aqui as relações são destacadas no que tange às sociais que acionam a raça e que conduzem a análise da tese que desenvolvo centrada no processo de racialização.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2014-10-17
Como Citar
Silva, F. O. da. (2014). A RELAÇÃO SUJEITO-ESTRUTURA NA HISTÓRIA SOCIAL - APONTAMENTOS PARA ANALISAR A ‘IDEIA DE RAÇA’ NESSA RELAÇÃO. Oficina Do Historiador, 1265-1277. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/oficinadohistoriador/article/view/19022