A TRAJETÓRIA DE MANSUETO BERNARDI E OTHELO ROSA NO CONTEXTO DA ALIANÇA LIBERAL: ALINHAMENTOS E TENSÕES

  • Jefferson Teles Martins PUCRS
Palavras-chave: IHGRGS. Intelectuais rio-grandenses. Aliança Liberal.

Resumo

O objetivo deste artigo é mostrar como as alianças estabelecidas no final dos anos 1920 entre as elites políticas do estado eram frágeis e escondiam tensões, mais ou menos, sentidas nas injunções entre os aliancistas. Para isto, serão analisados os casos de dois agentes políticos e intelectuais: Mansueto Bernardi e Othelo Rosa. No final dos anos 1920, o Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul teve o ingresso de nomes reconhecidos no cenário político e cultural de Porto Alegre, cuja atuação foi importante no contexto da Aliança Liberal e da união das elites políticas e intelectuais do estado. Entre os quais se destacam o diretor da “Revista do Globo”, Mansueto Bernardi, e o diretor de “A Federação”, Othelo Rosa. O primeiro foi o redator do “Manifesto dos Intelectuais” gaúchos em apoio à Revolução de 1930, e o segundo desempenhou papel importante na condição de chefe da folha republicana no front de defesa da campanha de Getúlio Vargas à Presidência da República. Entretanto, a Revolução de 30 trouxe diferentes encaminhamentos às trajetórias desses agentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jefferson Teles Martins, PUCRS
Doutorando em História PUCRS
Publicado
2014-10-17
Como Citar
Martins, J. T. (2014). A TRAJETÓRIA DE MANSUETO BERNARDI E OTHELO ROSA NO CONTEXTO DA ALIANÇA LIBERAL: ALINHAMENTOS E TENSÕES. Oficina Do Historiador, 1210-1221. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/oficinadohistoriador/article/view/19012