APRENDER-FAZENDO: REFLEXÕES SOBRE A RELAÇÃO ENTRE APRENDIZES E SAPATEIROS (PELOTAS, 1960-2014).

  • Micaele Irene Scheer Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.
Palavras-chave: História oral. Trabalho. Sapateiros.

Resumo

Os sapateiros ainda podem ser vistos nas ruas do centro da cidade de Pelotas, contudo seu espaço laboral é módico e a maioria limita-se aos consertos. Nesta oportunidade vamos discorrer sobre a aprendizagem, aspecto fundamental para compreender como se formavam novos sapateiros, costume que foi impactado conforme se popularizavam as leis trabalhistas e avançava a fragmentação do processo produtivo. A metodologia utilizada é a História oral temática, pois buscamos apreender experiências e o cotidiano fabril, assim como a interpretação dos narradores sobre as mudanças econômicas e sociais que interferiram em seus empreendimentos. É a partir destas fontes que o artigo busca analisar as mudanças em relação ao “aprender-fazendo” e seu impacto processo de reprodução dessa categoria profissional na cidade de Pelotas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2014-10-17
Como Citar
Scheer, M. I. (2014). APRENDER-FAZENDO: REFLEXÕES SOBRE A RELAÇÃO ENTRE APRENDIZES E SAPATEIROS (PELOTAS, 1960-2014). Oficina Do Historiador, 233-246. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/oficinadohistoriador/article/view/18962