A ditadura militar através do olhar infantil: representações e imaginário social no filme O ano em que meus pais saíram de férias (2006)

  • Cláudia Gisele Masiero Universidade Feevale
  • Tiago Silva Universidade Feevale
  • Cristina Ennes da Silva Feevale
Palavras-chave: Cinema. Ditadura Civil-Militar. Representações. Imaginário Social. Cotidiano.

Resumo

Neste estudo refletimos sobre as representações presentes na obra fílmica O ano em que meus pais saíram de férias (2006), de Cao Hamburger, considerando a relação entre História e Cinema, a partir de elementos como o imaginário social acerca da ditadura militar e o cotidiano histórico inerente aos anos de chumbo no Brasil. A análise busca no olhar infantil da personagem principal da narrativa as representações simbólicas pelas quais o regime militar afetou a cotidianidade dos indivíduos. Neste sentido, valendo-nos dos conceitos trazidos pela Nova História Cultural e tendo a pesquisa bibliográfica e a análise de imagens em movimento como metodologia do estudo, buscamos as aproximações das representações sociais, do imaginário e do cotidiano inerentes à ditadura militar no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cláudia Gisele Masiero, Universidade Feevale

Mestre em Processos e Manifestações Culturais

Tiago Silva, Universidade Feevale
Mestrando em Processos e Manifestações Culturais
Cristina Ennes da Silva, Feevale
Doutora em História

Referências

ALVES, Cristiane et. all. Produção de sentido e construção de valores na experiência com o cinema. In: SETTON, Maria da Graça Jacintho. A cultura da mídia na escola. São Paulo: AnnaBlume, 2004, p. 47.

ARAÙJO, Maria Paula; FICO, Carlos; GRIN, Mônica. (Organizadores). Violência na história: memória, trauma e reparação. Rio de Janeiro, RJ: Ponteiro Edições, 2013.

BACKZO, Bronislaw. A imaginação social. In: ROMANO, Ruggiero. Enciclopédia Eunaudi. Vol. 5. Lisboa: Imprensa Nacional, 1985, Pág. 296-331.

BAUER, Caroline Silveira. Brasil e Argentina: Ditaduras, Desaparecimentos e Políticas de Memória. Porto Alegre: Medianiz, 2012.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Lisboa: Bertrand/Difel, 1989.

CARDOSO, Márcia Blanco. Doutrina de Segurança Nacional: discurso e ação no 19º R. I. de São Leopoldo, RS (1964). Dissertação. (Mestrado em História). Universidade do Vale do Rio dos Sinos. São Leopoldo, 2003.

CHARTIER, Roger. À beira da falésia: a História entre certezas e inquietude. Porto Alegre: Ed. Universidade UFRGS, 2002.

CHARTIER, Roger. A História Cultural: entre práticas e representações. Rio de Janeiro: Difel, 1990.

DOCKHORN, Gilvan Odival Veiga. Quando a ordem é segurança e o progresso é desenvolvimento: O Estado Civil-Militar brasileiro. Dissertação (Mestrado em História).

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 1999.

DREIFUSS, René Armand. 1964: A Conquista do Estado. Ação Política, Poder e Golpe de Classe. Petrópolis: Vozes, 1981.

DUARTE, Rosália. Cinema e Educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

DURAND, Gilbert. O imaginário: ensaio acerca das ciências e da filosofia da imagem. Rio de Janeiro: Difel, 2011.

FAUSTO, Boris. História do Brasil. São Paulo: Edusp, 2000

FERRO, Marc. Filme: uma contra-análise da sociedade? In: LE GOFF, J.; NORA, P. (Orgs.). História: novos objetos. Trad.: Terezinha Marinho. Rio de Janeiro: F. Alves, 1976. p. 202-203.

GORENDER, Jacob. Combate nas trevas. A esquerda brasileira: das ilusões perdidas à luta armada. São Paulo: Ática, 1987.

HELLER, Agnes. O cotidiano e a História. São Paulo, SP: Paz e Terra, 2000.

JODELET, Denise. As representações sociais. Rio de Janeiro: Ed. UERJ, 2001.

LEVI, Giovanni. Sobre a Micro-História. In: BURKE, Peter. A Escrita da História: Novas perspectivas. São Paulo: Unesp, 1992.

MAGALHÃES, Lívia Gonçalves. Futebol em tempos de ditadura civil-militar. Anais do XXVI Simpósio Nacional de História – ANPUH. São Paulo, julho 2011.

NAPOLITANO, Marcos. A História depois do papel. In: PINSKY, Carla. Fontes Históricas. São Paulo: Contexto, 2011.

NOVA, Cristiane. O cinema e o conhecimento da História. In: O Olho da História: revista de história contemporânea. Salvador, v.2, n.3.1996.

O ANO EM QUE MEUS PAIS SAÍRAM DE FÉRIAS. Direção: Cao Hamburger. Globo Filmes. DVD (1h e 43 min.), 2006.

RIBEIRO, Luiz Carlos. Brasil: futebol e identidade nacional. EFdeportes.com. Buenos Aires, Ano 8 - N° 56 - Janeiro de 2003. Disponível em: <http://www.efdeportes.com/efd56/futebol.htm>. Acesso em 04 de abril de 2013.

ROSE, Diana. Análise de imagens em movimento. In: BAUER, Martin W; GASKELL, George (Orgs.). Pesquisa Qualitativa com Texto, Imagem e Som: um manual prático. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011, p. 343 – 364.

SILVA, Salete Therezinha de Almeida. A linguagem cinematográfica na escola: uma leitura d’O Rei Leão. In: CITELLI, Adilson. (Org.). Outras linguagens na escola – publicidade, cinema e TV, rádio, jogos e informática. Cortez: São Paulo, 2004.

SODRÉ, Nelson Werneck. Vida e morte da ditadura – 20 anos de autoritarismo no Brasil. Petrópolis. RJ: Vozes, 1984.

SORLIN, Pierre. Sociologie du cinéma. Paris: Éditions Aubier Montaigne, 1977.

TURNER, Graeme. O cinema como prática social. São Paulo: Summus, 1997.

Publicado
2014-12-04
Como Citar
Masiero, C. G., Silva, T., & da Silva, C. E. (2014). A ditadura militar através do olhar infantil: representações e imaginário social no filme O ano em que meus pais saíram de férias (2006). Oficina Do Historiador, 7(2), 173-196. https://doi.org/10.15448/2178-3748.2014.2.17085