INSURREIÇÃO E QUADRO POLÍTICO: FRENTE SANDINISTA E A OPÇÃO PELA VIA ARMADA NA NICARÁGUA

  • Fred Maciel Unesp - campus Franca
Palavras-chave: Nicarágua, Revolução Sandinista, Luta armada

Resumo

A América Latina, em especial a América Central, presenciou um quadro quase geral de instabilidade e insatisfação das camadas populares durante a segunda metade do século XX. Tentativas legais e democráticas de reverter o quadro de opressão e exclusão foram colocadas em prática pelas massas populares latino-americanas, mas mostraram-se ineficazes. A luta armada passou a ser a opção mais concreta de realização dos anseios populares. Portanto, tomando como base a experiência nicaraguense na Revolução Sandinista, por ser claro exemplo do uso da luta armada como meio eficiente de contestação, discutiremos aspectos referentes à escolha da via armada como opção de luta, seus aspectos políticos e direcionamentos estratégicos. Dessa forma, buscaremos promover um exercício de análise do movimento sandinista sob a ótica da insurreição popular armada, ou seja, levando-se em consideração a mobilização popular e a escolha da via armada como caminho, uma vez que consideramos tal análise de valiosa importância para uma compreensão de dito episódio histórico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fred Maciel, Unesp - campus Franca
Mestrando em História pela Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - Unesp/campus Franca; Membro do Grupo de Estudos de Defesa e Segurança Internacional (GEDES)
Publicado
2013-06-28
Como Citar
Maciel, F. (2013). INSURREIÇÃO E QUADRO POLÍTICO: FRENTE SANDINISTA E A OPÇÃO PELA VIA ARMADA NA NICARÁGUA. Oficina Do Historiador, 6(1), 44-64. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/oficinadohistoriador/article/view/12749
Seção
Artigos