<i>A varanda do Frangipani</i> e a demanda de uma matriz identitária

  • Rosa Adanjo Correia
Palavras-chave: Literatura moçambicana, Oralidade, Tradição, Mia Couto, A Varanda do Frangipani

Resumo

A libertação dos vínculos criados pela colonização e a demanda de uma matriz identitária na procura de uma identidade cultural africana, foram ao longo dos tempos uma preocupação constante dos intelectuais e escritores moçambicanos. O presente artigo, depois de passar em revista autores e momentos cruciais desde a sua origem, pretende mostrar como o romance de Mia Couto A Varanda do Frangipani consubstancia essa aspiração de longa data, ao apoderar-se de crenças do imaginário africano, resgatando as tradições e os procedimentos da oralidade ancestral das literaturas genuinamente africanas, ao mesmo tempo que denuncia uma realidade aniquiladora da esperança de um país genuíno.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como Citar
Correia, R. A. (2010). <i>A varanda do Frangipani</i> e a demanda de uma matriz identitária. Navegações, 3(1). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/navegacoes/article/view/7191
Seção
Ensaios