A tragédia revisitada: uma nova mî(me)se en cène no teatro de Nelson Rodrigues

Palavras-chave: Teatro brasileiro. Tragédia. Mîse en cène. Nelson Rodrigues. Vestido de noiva.

Resumo

A obra de Nelson Rodrigues gira em torno de alguns temas centrais, como amor e morte, sexo e traição, violência e transgressão que, desgastados no cenário teatral europeu e brasileiro, frequentemente apagam seu caráter de originalidade. Contudo, talvez não seja pelo conteúdo, mas pela forma, que o dramaturgo atinja a sua maior inovação. Isso, porque traz ao palco uma tragédia que, ao mesmo tempo em que rejeita seu modelo fundador, rejeita também a tragédia produzida entre os anos de 1880 a 1950, com raras exceções (a exemplo de Brecht, Hauptmann e Pirandello), ainda presa aos preceitos clássicos de objetividade, realidade e verossimilhança, senão nos temas, ao menos na estruturação formal dos conteúdos. Nesse sentido, pretendo identificar, em Vestido de noiva, elementos que afastam a peça rodrigueana do modelo de tragédia tradicional, e instauram uma nova mîse en cène no teatro brasileiro, liberta da prisão formal que representou durante tanto tempo o desejo do real.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Felipe Barbosa Borges, Instituto Federal Fluminense (IFF)
Doutor em Estudos Literários pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Professor no Instituto Federal Fluminense (IFF).

Referências

ARISTÓTELES. “Poética”. In: ARISTÓTELES; HORÁCIO; LONGINO. A poética clássica. 7. ed. São Paulo: Cultrix, 1997, p. 19-52.

AUERBACH, Erich. Mimesis: a representação da realidade na literatura ocidental. 5. ed. São Paulo: Perspectiva, 2004. p. 471-498.

BARTHES, Roland. O rumor da língua. São Paulo: Brasiliense, 1988.

BATALHA, Maria Cristina. Nelson Rodrigues e as obsessões da persona. Revista Ipotesi, Juiz de Fora, v. 11, n. 1, p. 39-47, jan./jun., 2007.

CALVINO, Italo. Seis propostas para o próximo milênio. Trad. de Ivo Barroso. São Paulo: Cia. das Letras, 2006. https://doi.org/10.5433/2237-4876.1999v2n1p199

COSTA, Iná. Alaíde Moreira no purgatório. Praga - Revista de Estudos Marxistas II, São Paulo, p. 69-85, 1997.

GUINSBURG, Jacob et al. Semiologia do teatro. São Paulo: Perspectiva, 1988.

LUKÀCS, Georg. A teoria do romance. São Paulo: Duas Cidades; Ed. 34, 2000.

PEREIRA, Maria Helena da Rocha. Prefácio à Poética de Aristóteles. In: ARISTÓTELES. Poética. Trad. de Ana Maria Valente. 3. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2008. p. 5-31.

RODRIGUES, Nelson. Vestido de noiva. São Paulo: Abril Cultural, 1977.

ROSA, João Guimarães. Grande Sertão: veredas. 2. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1958.

SÓFOCLES. Édipo-Rei. Trad. de Jean Melville. São Paulo: Martin Claret, 2005.

SZONDI, Peter. Teoria do drama moderno [1880-1950]. São Paulo: Cosac & Naif, 2001.

VALÉRY, Paul. Autre Rhumbs. In: VALÉRY, Paul.Oeuvres. Paris: Gallimard, 1960. p. 635-677.

VIDAL, Paulo. Édipo sem complexo, Hamlet edípico. ECOS: Estudos Contemporâneos da subjetividade, Niterói, v. 4, n. 1, p. 76-89, 2014.

Publicado
2019-08-08
Como Citar
Borges, J. F. B. (2019). A tragédia revisitada: uma nova mî(me)se en cène no teatro de Nelson Rodrigues. Navegações, 12(1), e27279. https://doi.org/10.15448/1983-4276.2019.1.27279
Seção
Ensaios