Surrealismo e infância em Bandeira Preta, de Branquinho da Fonseca

  • Keli Cristina Pacheco Universidade Estadual do Ponta Grossa - UEPG
  • Marcelo Waselcoski Faculdades SECAL
Palavras-chave: Branquinho da Fonseca, Contos, Surrealismo, Infância

Resumo

Este estudo apresenta uma leitura descritiva e analítica dos contos “Bandeira Preta”, “Jurro” e “Um peixe Gordo”, reunidos na obra Bandeira Preta, de Branquinho da Fonseca. O objetivo é investigar a permanência da presença de uma preocupação inicial do programa surrealista nos contos do autor, que se evidencia no enfoque temático da transição da infância para a idade adulta. A linguagem poética adotada por Branquinho da Fonseca compõe um enredo desenvolvido através dos olhos infantis das personagens, criando um singular universo ficcional. As crianças, em estado de poesia, arquitetam as ações em uma atmosfera surrealista, e desta forma a infância surge como uma fase naturalmente transgressora, que culmina em um confronto com as práticas autoritárias do mundo adulto.

 

************************************************************************************************************************************************************************************************************

Surrealism and childhood in Bandeira Preta, by Branquinho da Fonseca

Abstract: This study presents a descriptive and analytical reading of short stories titled “Bandeira Preta”, “Jurro” and “Um peixe gordo”, in Bandeira Preta work of Branquinho da Fonseca. The objective is to identify the presence of an initial concern of the surrealist program in tales of the author. The stories are about the transition from childhood to adulthood. The poetic language composes a storyline developed through childlike eyes of the characters, creating a singular fictional universe. Children in the state of poetry invent actions in a surreal atmosphere, and thus childhood arises naturally as a transgressive phase, culminating in a confrontation with the authoritarian practices of the adult world.

Keywords: Branquinho da Fonseca; Short Stories; Surrealism; Childhood

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Keli Cristina Pacheco, Universidade Estadual do Ponta Grossa - UEPG
Doutora em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professora Adjunta do Departamento de Letras Vernáculas e Docente Permanente do Mestrado em Linguagem, Identidade e Subjetividade, da Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG, Paraná, Brasil

Referências

ASSIS, Ângelo Ariano Faria de. O Medievo Português em tempos de livre crença: relações entre judeus e cristãos em Portugal antes do monopólio católico iniciado em 1497. Revista Mirabilia, n. 3, p. 212-241, dez. 2003. Disponível em:

< http://www.revistamirabilia.com/sites/default/files/pdfs/ 2003_11.pdf >. Acesso em: 18 out. 2013.

BENJAMIN, Walter. Reflexões sobre a criança, o brinquedo e a educação. São Paulo: Duas cidades/Editora 34, 2002.

BENJAMIN, Walter. O surrealismo – o último instantâneo da inteligência europeia. Magia, técnica, arte e política. São Paulo: Brasiliense, 1994.

BRETON, André. Manifesto Surrealista (1924). In: TELES, Gilberto de Mendonça (Org.). Vanguarda europeia e moder-

nismo brasileiro. Rio de Janeiro: Vozes, 1978. p. 168-202.

DIAS, Fernando Paulo. A teoria da “Presença”. Idearte – revista de teorias e ciências das artes, v. 6, 2010. Disponível em: <http://www.idearte.org/texts/68.pdf>.

FADDA, Sebastiana. Verbete sobre Branquinho da Fonseca. In: BOAVIDA, Maria Filomena; FRAZÃO, Fernanda. Pequeno dicionário de autores de Língua Portuguesa. Lisboa: Amigos do Livro Editores, 1983. p. 176.

FONSECA, Branquinho da. Bandeira Preta. Lisboa: Ed. Portugália, 1966.

HOUAISS, Antônio. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. São Paulo: Objetiva, 2001.

MOISÉS, Massaud. Branquinho da Fonseca. A literatura portuguesa. São Paulo: Cultrix, 2008. p. 368-369.

PAZ, Octavio. O verbo desencarnado. Signos em rotação. São Paulo: Perspectiva, 1996. p. 75-94.

Publicado
2015-10-06
Como Citar
Pacheco, K. C., & Waselcoski, M. (2015). Surrealismo e infância em Bandeira Preta, de Branquinho da Fonseca. Navegações, 8(1), 41-49. https://doi.org/10.15448/1983-4276.2015.1.19112
Seção
Ensaios