1984: Totalitarismo, vigilância e censura: retomando a questão do determinismo linguístico

Palavras-chave: 1984, George Orwell, Totalitarismo, Determinismo linguístico.

Resumo

O presente artigo analisa a obra 1984, de George Orwell, estabelecendo relações com os regimes totalitários no século XX, enfatizando o contexto brasileiro de censura e repressão vivenciado durante dois períodos distintos: a Era Vargas e o Regime Militar. O aporte teórico Foucaultiano traz a disciplina, a vigilância, a censura e a punição como formas de instituição e manutenção do poder nas obras A ordem do discurso e Vigiar e punir. Uma das formas de controle apresentadas pela obra de Orwell é o determinismo linguístico que é estabelecido a partir da criação da Novafala, idioma usado no controle do pensamento em 1984. Nesse contexto, aborda-se a Novafala, relacionando-a à versão extremada da Hipótese Sapir- Whorf acerca do determinismo linguístico, a qual, na discussão, não pode ser sustentada de forma cabal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Emanuele Mendonça de Freitas, Universidade de Caxias do Sul
Mestranda pelo Programa de Mestrado em Letras, Cultura e Regionalidade da Universidade de Caxias do Sul. Bolsa PROSUP/CAPES.
Heloísa Pedroso de Moraes Feltes, Universidade de Caxias do Sul
Doutora em Linguística Aplicada pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Professora do Programa de Pós-Graduação em Letras e Cultura.
Sílvia Maria Zanella, Universidade de Caxias do Sul
Mestranda pelo Programa de Mestrado em Letras, Cultura e Regionalidade da Universidade de Caxias do Sul. Bolsa PROSUP/CAPES.

Referências

CASASANTO, Daniel. Who’s afraid of the Big Bad Whorf? Crosslinguistic differences in temporal language and thought. Language Learning, v. 58, Suppl. 1, p. 63-79, Dec. 2008.

FAIRCHILD, Kristen. Dystopian language ant thought: the Sapir-Whorf Hypothesis applied to created forms of English. Honor Scholar 401-402. Senior Thesis, Depaw University, 2014.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. Tradução de Laura Fraga de Almeida Sampaio. São Paulo: Edições Loyola, 2002.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir. Tradução de Raquel Ramalhete. Petrópolis: Vozes, 1987.

GAGLIARDI, Ana Paula Denadai. 1984: uma metáfora totalitarista. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, 2013.

GOULART, Silvana. Sob a verdade oficial: ideologia, propaganda e censura no Estado Novo. São Paulo: Marco Zero, 1990.

KAY, Paul; KEMPTON, Willett. What is the Sapir-Whorf Hypothesis? American Antropologist, v. 86, p. 65-79, mar. 1984.

HOBSBAWM, Eric J. Era dos extremos: o breve século XX: 1914-1991. Tradução de Marcos Santarrita. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

HUSSEIN, Basel Al-Sheikh. The Sapir-Whorf Hypothesis Today. Theory and Practice in Language Studies, v. 2, n. 3, p. 642-646, Mar. 2012.

MAQUIAVEL: vida e pensamentos. São Paulo: M. Claret, 1997.

ORWELL, George. 1984. Tradução de Alexandre Hubner e Heloísa Jahn. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

OSIKE, Desirrê Parzianello. Relativismo linguístico em 1984 de George Orwell. 2011, 52 f. Monografia (Graduação) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2011.

RODRIGO, Lídia M. Maquiavel: educação e cidadania. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

SANTOS, Rodrigo Fernandes Assis dos. O conceito de língua/linguagem em 1984 de George Orwell. 2011, 193 f. Dissertação (Mestrado) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2011.

SAPIR, Edward. [1921]. A linguagem: introdução ao estudo da fala. Tradução de J. Mattoso Camara Jr. São Paulo: Perspectiva, 1980.

SAPIR, Edward. Culture, language and personality. Berkeley: University of California Press, 1958.

TAVARES, Débora Reis. A revolta contra o totalitarismo em 1984 de George Orwell, a formação do herói degradado. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo. São Paulo, 2013.

TIAGO, Héllen, Nívia. Poder por amor ao poder: uma análise discursiva das relações de poder em 1984, de George Orwell. 2015 145 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Goiás, Catalão GO, 2015.

VICENTE, João Pedro. Entendendo George Orwell: a estrutura das comunicações de massa no romance 1984. (Monografia) – Universidade Fernando Pessoa, Portugal, 2005.

WHORF, Benjamin Lee. The relation of habitual thought and behavior to language. ETC: A Review in General Semantics, n. 1, p. 197-215, 1944.

WITTGENSTEIN, Ludwig. Tratado lógico-filosófico. Tradução de M. S. Lourenço. Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, [1921] 1987.

WOLFF, Phillip; HOLMES, Kevin J. Linguistic relativity. WIREs Cognitive Science, v. 2, p. 253-265, May/June, 2011.

Publicado
2018-07-19
Como Citar
Freitas, E. M. de, Feltes, H. P. de M., & Zanella, S. M. (2018). 1984: Totalitarismo, vigilância e censura: retomando a questão do determinismo linguístico. Letrônica, 11(2), 192-209. https://doi.org/10.15448/1984-4301.2018.2.28076