O uso do dicionário como estratégia metacognitiva de aquisição lexical na leitura em mídia virtual e impressa

  • Claudia Finger-Kratochvil Universidade Federal de Santa Catarina
  • Margarete G. M. de Carvalho Universidade Federal da Fronteira Sul
Palavras-chave: Leitura, Competência lexical, Uso do dicionário, Mídia virtual

Resumo

Pesquisas vêm comparando os dicionários eletrônicos aos impressos para verificar qual deles responde melhor às demandas do leitor com relação à construção do conhecimento lexical, visando à compreensão leitora. Este artigo apresenta resultados de uma pesquisa pré-experimental, psicolinguística, que verificou o desenvolvimento da estratégia do uso do dicionário para aquisição do conhecimento lexical a partir do blog e do material impresso no processo de construção da competência leitora. Participaram professores de Português de escolas públicas de Santa Catarina. Buscamos identificar em qual dos meios o tempo de quebra do fluxo de leitura - devido às pausas para consulta ao dicionário - seria menor, e se essa consulta contribuiria para a compreensão leitora dos participantes, expressa por meio de uma síntese. Os resultados revelaram uma tênue diferença de compreensão leitora entre uma mídia e outra. Isso parece indicar que não é, fundamentalmente, a mídia o fator determinante para diferenças na compreensão nem para o uso de estratégias, ainda que o suporte virtual apresente algumas singularidades que, a princípio, causem estranheza ao leitor mais adaptado ao material impresso. O fator mais relevante foi a capacidade, demonstrada pelo leitor, de selecionar a estratégia
mais adequada e de decidir utilizá-la ou não.

Biografia do Autor

Claudia Finger-Kratochvil, Universidade Federal de Santa Catarina
Docente do Programa de Pós-graduação em Estudos Linguísticos, Letras.
Margarete G. M. de Carvalho, Universidade Federal da Fronteira Sul
Universidade Federal da Fronteira Sul

Referências

AGUILERA, María Cristina Arancibia. Estrategias de comprensión con hipertexto informativo. Lectura y vida – revista latinoamericana de lectura, v. 31, n. 2, p. 18-32, 2010.

ALLIENDE, Felipe. CONDEMARÍN, Mabel. A leitura: teoria, avaliação e desenvolvimento. Porto Alegre: Artmed, 2005.

BAKER, Linda; BROWN, Ann L. Metacognitive skills and reading. In: PEARSON, P. D. (Ed.). Handbook of research on reading. New York: Longman, 1984.

BARBEIRO. Luís Filipe. Vocabulário_quadro_geral. Projecto Diversidade Linguística na Escola Portuguesa. Disponível em: <http://www.iltec.pt/divling/_pdfs/cd2_vocabulario_ quadro-geral.pdf>. Acesso em: 23 nov. 2013.

BAUMANN, James F.; KAME’ENUI, Edward J.; ASH, Gwynne E. Research on vocabulary instruction: Voltaire redux. Handbook of research on teaching the English language arts, v. 2, p. 752-785, 2003.

CARVALHO, Margarete Gonçalves Macedo de. Leitura e mídia virtual: a construção da competência lexical através do blog. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Programa de Pós-graduação em Estudos Linguísticos, Universidade Federal da Fronteira Sul, Chapecó, 2014.

CASSANY, Daniel. Explorando las necesidades actuales de comprensión. Aproximaciones a la comprensión crítica. Lectura y vida, v. 25, n. 2, p. 6-23, 2004.

CHAVES, Jésura; LOPES, Marília. Metacognição e Metalinguagem. In: Pereira , V. W.; Guaresi , Ronei (Orgs). Estudos sobre leitura: psicolinguística e interfaces. Porto Alegre: ediPUCRS. 2012, p. 21-30.

COSCARELLI, Carla V.; NOVAIS, Ana Elisa. Leitura: um processo cada vez mais complexo. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 45, n. 3, p. 35-42, jul.-set. 2010.

CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

EBNER, Rachel J.; EHRI, Linnea C. Vocabulary Learning on the Internet: Using a Structured Think – Aloud Procedure. Journal of Adolescent & Adult Literacy, v. 56, n. 6, p. 480-489, 2013.

FARSTRUP, Alan E.; SAMUELS, S. Jay. Vocabulary instruction: a critical component for skillful reading. In: FARSTRUP, Alan E.; SAMUELS, S. Jay. What research has to say about vocabulary instruction. International Reading Assoc., p.1-5, 2008.

FINGER-KRATOCHVIL, Claudia. Estratégias para o desenvolvimento da competência lexical: relações com a compreensão em leitura. Tese (Doutorado em Letras) – Programa de Pós-graduação em Letras, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2010.

______. O aprendiz estratégico e crítico na era da informação. In: Dias , Antônio; Hetkowski , Tânia M. (Org.). Educação e Contemporaneidade: pesquisas científicas e tecnológicas. Salvador: Editora da Universidade Federal da Bahia – EDUFBA, 2009. v. 1, p. 203-229.

GOLDMAN, Susan et al. Comprehending and Learning From Internet Sources: Processing Patterns of Better and Poorer Learners. Reading Research Quarterly, Illinois, 2012. Disponível em: <http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/RRQ.027/abstract>. Acesso em: 03 set. 2013.

KINTSCH, Walter; RAWSON, Katherine E. Comprehension. In: SNOWLING, Margaret J.; HULME, Charles (Ed.). The science of reading: a handbook. [S.l.]: John Wiley & Sons, 2005. p. 71-92.

LEFFA, Vilson J. Aspectos da leitura. Uma perspectiva psicolinguística. Porto Alegre. Sagra-Luzzatto. 1996.

______. Reading with an electronic glossary. Computers & Education, Great Britain, v. 19, n. 3, p. 285-290, 1992.

______. O dicionário eletrônico na construção do sentido em língua estrangeira. Cadernos de tradução, Florianópolis, n. 18, p. 319-340, 2006.

______. Questões de lexicografia pedagógica. In: XATARA, C., BEVILACQUA, Cleci Regina & HUMBLÉ, Philippe René Marie (Orgs.). Dicionários na teoria e na prática: como e para quem são feitos. São Paulo: Parábola Editorial, 2011. p. 123-132.

MIN, Young- Kyung. Vocabulary Acquisition: Practical Strategies for ESL Students. Journal of International Students, v. 3, n. 1, Spring 2013. Disponível em: <http://jistudents.files. wordpress.com/2012/07/8-young-updated.pdf>. Acesso em: 23 nov. 2013.

MOKHAR, Ahmad Azman. The Role of Dictionary Strategy in Passive Vocabulary Knowledge Acquisition of Net Generation Students. Journal for the Study of English Linguistics, v. 1, n. 1, 2013. Disponível em: <http://www.macrothink.org/journal/index.php/jsel/article/view/4444>. Acesso em: 23 nov. 2013.

MORAIS, José; LEITE, Isabel; KOLINSKY, Régine. Entre a pré-leitura e a leitura hábil: Condições e patamares da aprendizagem. In: MALUF, Maria Regina; CARDOSO-MARTINS, Cláudia. Alfabetização no século XXI: Como se aprende a ler e a escrever. Penso Editora, p. 17-48, 2013.

NAGY, William E.; HERMAN, Patricia A. Breadth and depth of vocabulary knowledge: Implications for acquisition and instruction. The nature of vocabulary acquisition, v. 19, p. 35, 1987.

NAGY, William E.; SCOTT, Judith A. Vocabulary processes. In: ALVERMANN, Donna E.; UNRAU, Norman J.; RUDDELL, Robert B. Theoretical models and processes of reading. International Reading Assoc., p. 458-488, 2013. (Publicado originalmente in: KAMIL, M. et al. Handbook of reading research. Mahwah: Lavrence Erlbaum, 2000. v. 3, p. 269-284).

NASCIMENTO, Tânia Augusto et al. Fluência e compreensão leitora em escolares com dificuldades de leitura. Rev Soc Bras Fonoaudiol, v. 23, n. 4, p. 335-43, 2011.

PEREIRA, Vera Wannamacher. Compreensão leitora de alunos do ensino médio. Revista Virtual de Estudos da Linguagem, v. 6, n. 11, p. 1-15, 2008.

PERINI, Mario A. Efeito do gênero textual. In: LIBERATO, Yara; FULGENCIO Lúcia. É possível facilitar a leitura: um guia para escrever claro. São Paulo: Contexto. 2012. p. 152-158.

RANGEL, Egon de Oliveira. Dicionários em sala de aula. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2006.

RIBEIRO, Ana Elisa. Leitura nas interfaces gráficas de computador: compreendendo a gramática da interface. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Programa de Pós-graduação em Estudos Linguísticos, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.

RIBEIRO, Vera Masagão. Analfabetismo e analfabetismo funcional no Brasil. In: SANTOS, Emerson. Reescrevendo a Educação. São Paulo: Scipione, , 2006. p. 26-37.

SCHMITT, N. et al. The percentage of words known in a text and reading comprehension. The Modern Language Journal, v. 95, p. 26-43. 2011. Doi: 10.1111/j.1540-4781.2011.01146.x

SCLIAR-CABRAL, Leonor. Sistema Scliar de Alfabetização. Livro dos alunos: Aventuras de Vivi, 2012.

SOLÉ, I. Estratégias de leitura. Porto alegre: Artmed, 1998.

STANOVICH, Keith E. Matthew effects in reading: Some consequences of individual differences in the acquisition of literacy. Reading Research Quarterly, p. 360-407, 1986.

TOMITCH, Lêda Maria Braga (Org.). Aspectos cognitivos e instrucionais da leitura. São Paulo: EDUSC, 2008.

TOMITCH, Lêda Maria Braga. Desvelando o processo de compreensão leitora: protocolos verbais na pesquisa em leitura. [S.l.]: Signo, 2007. Disponível em: <https://online.unisc. br/seer/index.php/signo/article/viewFile/244/197>. Acesso em: 20 nov. 2013.

WÄSTLUND, Erik. Experimental studies of human-computer interaction: working memory and mental workload in complex cognition. Karlstad, Sweden: Dept. of Psychology, Karlstad University, 2007.

XATARA, Cláudia M.; BEVILACQUA, Cleci R.; HUMBLÉ, Philippe, R. M. (Org.). Dicionários na teoria e na prática: como e para quem são feitos. São Paulo: Parábola Editorial, 2011.

Publicado
2016-12-31
Como Citar
Finger-Kratochvil, C., & Carvalho, M. G. M. de. (2016). O uso do dicionário como estratégia metacognitiva de aquisição lexical na leitura em mídia virtual e impressa. Letrônica, 9(2), 295-309. https://doi.org/10.15448/1984-4301.2016.2.23815