Contextualismo e Ceticismo

  • Patricia Ketzer (PUCRS) PUCRS
Palavras-chave: Epistemologia, Justificação, Contextualismo, Contextos, Ceticismo,

Resumo

Historicamente a epistemologia tem definido conhecimento como universal e infalível. Mas a tradição não deu conta de resolver de forma suficientemente satisfatória as questões colocadas pelos céticos. Diante disso, reformulações no conceito de conhecimento têm sido admitidas, dando origem a novas abordagens em Epistemologia. Dentre as novas teorias epistêmicas encontra-se o contextualismo, que defende que conhecimento é relativo ao contexto em que está inserido e no qual é discutido. Os contextualistas acusam a epistemologia tradicional de ignorar os diferentes contextos em que há conhecimento, ao tomar como padrão um contexto epistemológico altamente rigoroso, que regula o conhecimento em qualquer circunstância. Segundo os defensores do contextualismo, o simples fato de considerar as diferenças contextuais já eliminaria o ceticismo. Este trabalho pretende mostrar que o contextualismo corresponde a uma nova forma de compreender o conhecimento em epistemologia e, para tal, reformula os principais conceitos da tradição. O contextualismo compreende conhecimento de uma forma prática, defende que as normas sociais devem ser levadas em conta na epistemologia e, sobretudo, opõe-se às objeções céticas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patricia Ketzer (PUCRS), PUCRS
Publicado
2011-12-12
Como Citar
Ketzer (PUCRS), P. (2011). Contextualismo e Ceticismo. Intuitio, 4(2), 197-214. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/intuitio/article/view/9677
Seção
Artigos