A razão unidimensional e as razões para a transformação da história: a arte entre Hegel e Marcuse

  • Francisco Luciano Teixeira Filho (UFC) Universidade Federal do Ceará
Palavras-chave: Marcuse. Hegel. Arte.

Resumo

O presente trabalho constrói uma ponte teórica entre Hegel e Marcuse, com intento de demonstrar a possibilidade de transformações históricas concretas, oferecida pela experiência estética. Tendo como paradigma a sociedade administrada, procurou-se estabelecer, a partir de Marcuse e Hegel, um caminho que demonstra como o indivíduo plasma a razão na história, o que pressupõe uma ação libertadora consciente. Todavia, em uma sociedade unidimensional, não há abertura para outras dimensões e, portanto, a razão unidimensional se torna totalitária, paralisando a história. Nesse sentido, buscou-se demonstrar a saída para a dimensão estética, que propicia uma negação da unidimensionalidade da razão moderna. O indivíduo bidimensional, ie, que está aberto para a realidade e para a dimensão estética, pode plasmar a razão na história e, portanto, transformar o mundo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Luciano Teixeira Filho (UFC), Universidade Federal do Ceará
Mestrando em Filosofia - UFC
Publicado
2011-12-12
Como Citar
Teixeira Filho (UFC), F. L. (2011). A razão unidimensional e as razões para a transformação da história: a arte entre Hegel e Marcuse. Intuitio, 4(2), 183-196. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/intuitio/article/view/9672
Seção
Artigos