Michel Foucault e o helenismo: subjetivação e cuidado de si

  • Federico Testa (PUCRS) PUCRS
Palavras-chave: Helenismo. Subjetivação. Cuidado de si. Poder. Michel Foucault.

Resumo

Este artigo visa discutir a imagem foucaultiana do helenístico, constituída a partir de uma visão heterodoxa de sua paisagem sócio-econômica, desenvolvida a partir das concepções e noções de poder e política internas aos desenvolvimentos da própria obra de Michel Foucault. Para isso, se realiza uma breve exposição da trajetória do pensamento de Foucault no que tange as noções de sujeito e poder, apontando o estudo das práticas relativas à produção de subjetividade, sujeição ou subjetivação, como finalidade última do estudo aprofundado e histórico das configurações das relações de poder. Após expor a paisagem histórica que o filósofo propõe do período helenístico, a partir das noções de capilarização e intensificação da política, discute-se os traços definidores do helenismo no que tange às práticas relativas à subjetividade, buscando apontar o cuidado de si como noção que define a feição deste. A idéia de cuidado de si e do helenístico como idade de ouro do cuidado de si levam à breve tematização e exposição de conceitos que Foucault mobiliza na explicação dessa noção, como espiritualidade e modo de vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Federico Testa (PUCRS), PUCRS
Bacharel em Ciências Socias - Antropologia pela UFRGS. Cursou um ano de História e dois anos de Filosofia na PUCRS, onde atualmente é mestrando junto ao PPG em Filosofia.
Publicado
2011-07-21
Como Citar
Testa (PUCRS), F. (2011). Michel Foucault e o helenismo: subjetivação e cuidado de si. Intuitio, 4(1), 15-28. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/intuitio/article/view/8617
Seção
Artigos