O papel do silogismo prático no corpus aristotelicum

  • Fernando Rodrigues Montes D'Oca (PUCRS/IFSUL) PUCRS / IFSUL
Palavras-chave: Filosofia Moral, Aristóteles

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar as três principais teses sobre o papel do silogismo prático no corpus aristotelicum e, na sequência, apontar qual delas oferece a melhor explicação para o seu papel. Primeiramente, analisamos a tese que concebe o silogismo prático como uma apresentação inferencial da deliberação e, por conseguinte, do raciocínio prático. Na sequência, analisamos a tese que entende o silogismo prático como uma explicação do movimento animal em geral. Finalmente, analisamos a tese que concebe o silogismo prático como um processo de aplicação de regras a casos, o qual se constitui no instante terminal do raciocínio prático e o qual explica o movimento humano, i.e., a ação humana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Rodrigues Montes D'Oca (PUCRS/IFSUL), PUCRS / IFSUL
Professor do Instituto Federal Sul-rio-grandense. Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da PUCRS. Mestre e Especialista em Filosofia pela UFPEL. Licenciado em Filosofia pela UFSM.
Publicado
2011-07-25
Como Citar
Montes D’Oca (PUCRS/IFSUL), F. R. (2011). O papel do silogismo prático no corpus aristotelicum. Intuitio, 4(1), 29-50. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/intuitio/article/view/8526
Seção
Artigos