Robert Brandom: Inferência material e conteúdo conceitual

  • Juliano do Carmo (PUCRS) PUCRS
Palavras-chave: FILOSOFIA DA LINGUAGEM, CRITÉRIO DE SIGNIFICAÇÃO, INFERENCIALISMO, CONTEÚDO CONCEITUAL

Resumo

Este ensaio tem por objetivo apresentar alguns aspectos de uma das versões da teoria do significado como uso que, atualmente, reacendeu o debate a respeito da significação lingüística. Trata-se da semântica inferencial de Robert Brandom. Para este autor o significado de um enunciado é o resultado do entrelaçamento das diversas perspectivas com as quais os falantes se comprometem ao realizar asserções. Em outras palavras, o significado de uma expressão é o resultado de sua função na inferência. Esta é também outra maneira de dizer que o significado não é algo prévio (a priori) à sua aplicação na linguagem. Com efeito, Brandom defende que a comunicação não requer o prévio compartilhamento de conteúdos comuns, mas é um processo no qual os falantes convergem para os mesmos conceitos na atividade de atribuir e assumir compromissos para certas inferências e substituições.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2010-11-27
Como Citar
do Carmo (PUCRS), J. (2010). Robert Brandom: Inferência material e conteúdo conceitual. Intuitio, 3(2), 147-160. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/intuitio/article/view/7736
Seção
Artigos