O Contratualismo na Perspectiva Crítica de Hegel

  • José Aldo Camurca (UFC) Universidade Federal do Ceará
Palavras-chave: Contratualismo, Estado de Natureza, Crítica

Resumo

Nos escritos políticos de Hegel, chama-nos atenção a crítica que o autor faz ao contratualismo. Mais especificamente, a defesa de um suposto estado de natureza. Não por acaso que se associa, muitas vezes, contratualismo e direito natural na teoria jusnaturalista. Por esta razão, o objetivo deste trabalho é de analisar em que medida a crítica feita por Hegel aos contratualistas atinge suas filosofias; seja na esfera do direito natural, seja na esfera do jusnaturalismo. Ou seja, apresentaremos aspectos positivos e negativos do contratualismo. A fim de fundamentarmos tais pretensões, a filosofia política de Thomas Hobbes será confrontada com a de Hegel. A teoria hobbesiana, ao lado de Locke e Rousseau, representa o desenvolvimento da liberdade individual na modernidade. Mesmo assim, Hegel questiona alguns pontos dessa teoria em sua filosofia. E será a partir desses questionamentos chegaremos à seguinte conclusão: Hegel suprassume o contratualismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Aldo Camurca (UFC), Universidade Federal do Ceará
Mraduado em Filosofia pela Universidade Federal do Ceará. Atualmente, exerce o bacharelado do referido curso
Publicado
2011-07-21
Como Citar
Camurca (UFC), J. A. (2011). O Contratualismo na Perspectiva Crítica de Hegel. Intuitio, 4(1), 75-90. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/intuitio/article/view/7729
Seção
Artigos