Adorno e a música: novos procedimentos para uma nova filosofia

  • Rafael Reis Pombo (UFU) Universidade Federal de Uberlândia
Palavras-chave: conceito, lógica discursiva, música, ensaio

Resumo

Ao recusar esquemas prévios de construção textual e aproximando-se à lógica musical com sua capacidade de expressar a transição, a filosofia adorniana tenta superar a lógica discursiva da apresentação conceitual, sem abandonar o conceito – pois não pode haver filosofia sem conceito. O que a interpretação filosófica de Adorno procura, através da forma ensaística, é aproximar-se da dinâmica da realidade. Os conceitos que compõem uma constelação reproduzem as tensões do objeto, mas na forma estática de uma imagem ou figura interpretativa. Adorno dispõe os elementos do discurso de modo descontínuo e não hierárquico, e as tensões entre esses elementos se transformam em energia produtiva que os mantém numa continuidade não conclusiva e fragmentada como a própria realidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2010-11-08
Como Citar
Pombo (UFU), R. R. (2010). Adorno e a música: novos procedimentos para uma nova filosofia. Intuitio, 3(2), 204-213. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/intuitio/article/view/7519
Seção
Artigos