Leis empíricas e as máximas da razão em Kant

  • Rodrigo Augusto Rosa (UNICAMP) Universidade Estadual de Campinas - Unicamp
Palavras-chave: Leis empíricas. Máximas da razão. Fé doutrinal.

Resumo

O objetivo deste artigo é discutir o que caracteriza as leis empíricas como uniformidades necessárias na filosofia crítica de Kant. Há a interpretação de que as leis empíricas são uniformidades necessárias na medida em que são subsumidas pelas leis a priori do entendimento. Por outro lado, há a concepção de que as leis empíricas só podem ser consideradas necessárias a partir do uso regulativo da razão. Concordamos com a última posição. No presente trabalho argumentamos porque discordamos da leitura que defende a tese que as leis a priori do entendimento justificam a necessária uniformidade das leis empíricas. Defendemos que a necessária uniformidade das leis empíricas só pode ser fundamentada por uma fé doutrinal, a qual é a crença em determinadas máximas de um programa de pesquisa elaborado pelo uso regulativo da razão.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2010-06-22
Como Citar
Rosa (UNICAMP), R. A. (2010). Leis empíricas e as máximas da razão em Kant. Intuitio, 3(1), 139-156. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/intuitio/article/view/6932
Seção
Artigos