A noção husserliana de consciência intencional e suas origens

  • Michelle Silvestre Cabral (UNIOESTE) UNIOESTE/Fundação Araucária
Palavras-chave: Fenomenologia. Consciência. Intencionalidade. Phenomenology. Conscience. Intentionality.

Resumo

Através da investigação do conceito de consciência intencional pretende-se enfatizar a especificidade que circunscreve a região da consciência em sua acepção fenomenológica. Ao analisar as origens de tal conceito e o modo como Husserl se apropria e, consequentemente, reformula-o, num primeiro momento no texto das Investigações e, posteriormente, nas Idéias, se acredita ser possível delinear o próprio movimento de radicalização de seu pensamento, no que tange a determinação da fenomenologia como idealismo transcendental. Ou seja, tratar-se-á da noção de consciência almejando apresentar o modo como a compreensão husserliana de tal noção determina e direciona sua própria concepção de fenomenologia. Através dessa análise, acreditamos poder demonstrar como a abordagem adotada por Husserl com relação ao tema da intencionalidade da consciência acaba desencadeando uma clarificação dos supostos ontológicos presentes, de modo neutro, em 1900, e numa postura filosófica assumidamente idealista transcendental nas Idéias, de 1913, e obras posteriores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Michelle Silvestre Cabral (UNIOESTE), UNIOESTE/Fundação Araucária
Discente do curso de mestrado em Filosofia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná.
Publicado
2010-06-22
Como Citar
Cabral (UNIOESTE), M. S. (2010). A noção husserliana de consciência intencional e suas origens. Intuitio, 3(1), 120-138. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/intuitio/article/view/6829
Seção
Artigos