SOBRE AS CAUSAS EM ARISTÓTELES

  • Luciana Rohden da Silva (PUCRS) PUCRS

Resumo

O ponto central da Física de Aristóteles é a questão do movimento, que deve ser entendida a partir de uma perspectiva causal: para tudo aquilo que é ou vem a ser existe uma causa. A ciência física deve investigar a substância dos entes que são por natureza, os quais têm em si mesmos o princípio do movimento. A questão do movimento exige o estudo das diferentes espécies de causas, as quais, embora sejam entendidas em diversos sentidos, devem ser reportadas a quatro modos mais manifestos, a saber: a matéria, a forma, o que moveu e o fim. A partir desses quatro modos principais, Aristóteles estabelece uma ciência acerca do mundo físico. No entanto, após apresentar a doutrina das quatro causas, considera necessário investigar a sorte e o acaso, os quais são denominados como causas acidentais de entes e eventos também acidentais. O presente artigo pretende esboçar algumas considerações acerca da relação entre os quatro modos mais manifestos em que causa é dita e as causas acidentais, e também, de que modo as causas acidentais impedem a existência de um finalismo absoluto no mundo físico sublunar. PALAVRAS-CHAVE: Movimento. Causa. Causa acidental.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como Citar
da Silva (PUCRS), L. R. (2009). SOBRE AS CAUSAS EM ARISTÓTELES. Intuitio, 2(1), 68-80. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/intuitio/article/view/5441
Seção
Artigos