ECONOMIA E CRÍTICA DA RAZÃO GOVERNAMENTAL EM MICHEL FOUCAULT

  • Rone Eleandro Santos (UFMG) UFMG

Resumo

Partindo da análise do surgimento do homo œconomicus e do sujeito de interesse e suas diferenças quanto à noção de um homo juridicus e de um sujeito do direito, Michel Foucault coloca em questão no curso “Le naissance de la biopolitique” (1978-1979) as relações entre o direito, a economia e a política. Refletindo nesta direção Foucault aponta o Liberalismo como um empreendimento crítico feito contra a racionalidade política que toma a forma de uma filosofia política. Tomando como exemplo a economia política de Adam Smith, veremos que Foucault aponta o liberalismo econômico como uma forma de desqualificação do projeto político que coloca o Estado soberano e jurídico e sua arte de governar como “a correta disposição das coisas, às quais se assume o encargo de conduzir a um fim conveniente”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rone Eleandro Santos (UFMG), UFMG
Pós-Graduado em Filosofia (IFAC/UFOP), Mestrando em Filosofia Social e Política (FAFICH/UFMG), bolsista CAPES. Professor e Coordenador do curso de Filosofia das Faculdades Integradas Paiva de Vilhena ― UEMG/Campus Campanha-MG.
Publicado
2009-06-20
Como Citar
Santos (UFMG), R. E. (2009). ECONOMIA E CRÍTICA DA RAZÃO GOVERNAMENTAL EM MICHEL FOUCAULT. Intuitio, 2(1), 217-232. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/intuitio/article/view/5357
Seção
Artigos