A crítica revisionista aos pressupostos da interpretação ortodoxa do Leviathan

  • Jairo Rivaldo Silva Universidade Federal de Pernamuco
Palavras-chave: Leviathan. Pressupostos. Interpretação.

Resumo

 

 O objetivo do presente artigo é apresentar a crítica recente da interpretação revisionista do Leviathan aos pressupostos da interpretação tradicional ou ortodoxa. Em um primeiro momento, serão apresentados os argumentos contrários aos seguintes pressupostos da interpretação ortodoxa do Leviathan: 1) o egoísmo predominante; 2) o estado de natureza como um dilema do prisioneiro da teoria dos jogos; 3) a obrigação política justificada pela razão prudencial; 4) a irrelevância da religião para a teoria moral e política de Hobbes. Em um segundo momento, serão apresentados os critérios de leitura da interpretação revisionista do Leviathan. Por fim, serão expostos os pressupostos da interpretação revisionista.


Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jairo Rivaldo Silva, Universidade Federal de Pernamuco
mestrando em filosofia (étca e política) pela UFPE

Referências

AUBREY, John. Brief Lives. Rochester, New York: The Boydell Press, 1982.

CURLEY, Edwin. Religion and Morality in Hobbes. In. COLEMAN, Jules L. MORRIS, Christopher. (Ed.). Commitment and Social Justice: essays for Gregory Kavka. Cambridge, Cambridge University Press, 2007.

FINN. Stephen. Compreender Hobbes. Tradução de Caesar Suza. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

GAUS, Gerald. Hobbesian Contractarianism, Orthodox and Revisionist. In. LLOYD, S.A. (Ed.). The Bloomsbury Companion to Hobbes. New York/London: Bloomsbury companions, 2013.

GAUTHIER, David P. The Logic of Leviathan: the moral and political theory of Thomas Hobbes. Oxford: Oxford University Press, 1969.

GERT, Bernard. Hobbes on Reason. In. Pacific Philosophical Quarterly, n. 82, 2001, p. 243

________. A psicologia de Hobbes. In. SORELL, Tom. (org.). Hobbes. Tradução de André Oides. Aparecida, SP: Idéias e Letras, 2011.

HAMPTON, Jean. Hobbes and The Social Contract Tradition. Cambridge: Cambridge University Press, 1986.

HOBBES, Thomas. Leviatã. 3ª ed. Tradução de João Paulo Monteiro e Maria Beatriz Nizza da Silva. São Paulo: Martins Fontes, 2014.

________. Do Cidadão. 3ª Ed. Radução de Renato Janine Ribeiro. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

KAVKA, Gregory S. Hobbesian Moral and Political Theory. Princeton, New Jersey: Princeton University Press, 1986.

LESSAY, Frank. Hobbe’s Convenantal Theology and Its Political Implications. In. SPRINGBORG, Patricia. Cambridge Companion to Hobbe’s Leviathan. Cambridge: Cambridge University Press, 2007.

LLOYD, S. A. Ideals as interests in Hobbe’s Leviathan: The power of mind over matter. Cambridge: Cambridge University Press, 1992.

_______. Morality in the Philosophy of Thomas Hobbes: Cases in the Law of Nature. Cambridge: Cambridge University Press, 2009.

_______. The Bloomsbury Companion to Hobbes. New York/London: Bloomsbury companions, 2013.

MARTINICH, A. P. The Two Gods of Leviathan: Thomas Hobbes on religion and politics. Cambridge: Cambridge University Press, 1992.

PETERS, Richard. Hobbes. Toronto, Ontario: Penguin Books, 1956.

RAWLS, John. Conferências sobre a História da Filosofia Política. Tradução de Fábio M. Said. São Paulo: Martins Fontes, 2012.

RYAN, Alan. A filosofia Política de Hobbes. In. SORELL, Tom. (org.). Hobbes. Tradução de Andre Oides. Aparecida, SP: Idéias e Letras, 2011.

TUCK, Richard. Hobbes. Tradução de Adail Ubirajara Sobral e Mara Stela Gonçalves. São Paulo: Loyola, 2001.

VANDERSCHRAAF, Peter. Game Thoeretic Interpretations. In. LLOYD, S.A. (Ed.). The Bloomsbury Companion to Hobbes. New York/London: Bloomsbury companions, 2013.

Publicado
2018-12-13
Como Citar
Silva, J. R. (2018). A crítica revisionista aos pressupostos da interpretação ortodoxa do Leviathan. Intuitio, 11(2), 47-65. https://doi.org/10.15448/1983-4012.2018.2.31678