Entre a Sucessão e a Simultaneidade: A Causalidade em F.H Jacobi

  • Douglas William Langer Universidade Federal do Paraná
Palavras-chave: Causalidade, Eternidade, Imaginação, Razão, Deus

Resumo

Este trabalho pretende analisar a maneira como Jacobi em seu David Hume über den Glauben oder Idealismus und Realismus (1787) utiliza-se da argumentação espinosiana na solução da problemática cética apresentada por David Hume com relação à possibilidade de ligação causal entre entes inteiramente diferentes. Sem apelo à razão pura kantiana, ele serve-se, para tal, da noção de Espinosa de razão. Por meio dela, torna-se possível deduzir um conceito de causalidade válido universalmente a partir do campo físico, e assim construir uma resposta a imaginação, âmbito responsável pela falsidade, uma vez que é incapaz de apreender a totalidade das relações causais que se faz presente apenas na eternidade de acordo com a concepção espinosiana. Para ambos, portanto, a realidade efetiva configura-se como um todo simultâneo, sendo a sucessão, mera ilusão. A concordância com Espinosa, todavia se desfaz no que tange à origem da própria experiência. Jacobi caracteriza-a como matéria de fé, assentando-a em um Deus transcendente, fundamento do que ele chamou de vida, um complexo abrangendo sujeito, objeto e sua relação. Uma compreensão radicalmente dispare da imanência apresenta por Espinosa na sua Ethica More Geometrico Demonstrata (1677).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ACERBI, A. Il sistema di Jacobi: Ragione, esistenza, persona. Hildesheim-Zürich/New York: Georg Olms Verlag, 2010. 279 p.

BRUNEL, P.J. “De Protée à Polyphème. La Crise de la Rationalité chez F.H Jacobi”. In : Études Germaniques, Paris, n. 251, p.571 – 600, 2008.

BRUNSCHVICG, L. Spinoza et ses Contemporains. 4ª Ed. Paris: Presses Universitaires de France, 1951. 309p.

DIGIOVANNI, G.(Org). Karl Leonhard Reinhold and the Enlightenment. Montreal: Springer, 2010. 337 p.

ESPINOSA, B. Spinoza Opera. Heidelberg: Carl Winters Universitätsbuchhandlung, 1925. 631p. v.1.

HARTMANN, N. Die Philosophie des Deutschen Idealismus. 2ª ed. Berlin: Walter de Gruyter & Co, 1960. 575 p. v.1.

HENRICH, D. Between Kant and Hegel: Lectures on German Idealism. 1ª ed. Massachusetts: Harvard University Press, 2003. 341 p.

HUME, D. Enquiry Concerning Human Understanding. Oxford: Oxford University Press, 2004. 85 p.

JACOBI, F.H. Werke: Zweyter Band. Leipzig: Gerhard Fleischer d. Jüng, 1815. 544 p.

KANT, I. Kritik der Reinen Vernunft. Hamburg: Felix Meiner, 1956. 766 p.

KOISTINEN, O. (Org). The Cambridge Companion to Spinoza’s Ethics.New York: Cambridge University Press, 2009. 316 p.

REINHOLD, K.L. Versuch einer neuen Theorie des menschlichen Vorstellungsvermögens. Prag/Jena: Widtmann und J.M Mauke, 1795. 579 p.

TEIXEIRA, L. A Doutrina dos modos de percepção e o conceito de abstração na filosofia de Espinosa. São Paulo: Unesp, 2001. 196 p.

SNOW, D.E. “Jacobi and the Development of German Idealism”. In: Journal of the History of Philosophy, Maryland, v.25, n.3, p. 397 – 415, 1987.

WILDE, N. Friedrich Heinrich Jacobi: A Study in the Origin of German Idealism. New York: Columbia College, 1894. 77 p.

WINDELBAND, W. A history of Philosophy. Trad. James H. Tufts. 2ª ed. New York: London Macmillan & CO, 1893. 726 p.

WOLFSON, H.A. The Philosophy of Spinoza. Massachusetts: Harvard University Press, 1934. 440 p. v. 1.

Publicado
2018-12-13
Como Citar
Langer, D. W. (2018). Entre a Sucessão e a Simultaneidade: A Causalidade em F.H Jacobi. Intuitio, 11(2), 149-160. https://doi.org/10.15448/1983-4012.2018.2.31546